Vida

Mora nos Clássicos | Como evento da elite paulistana tirou da toca Ferraris e Lamborghinis raras

Mora nos Clássicos | Como evento da elite paulistana tirou da toca Ferraris e Lamborghinis raras

(SÃO PAULO) - Cena rara - se não inédita - até mesmo em eventos internacionais: uma 225S Vignale Spyder ladeada por uma F50 e uma F40. Peças únicas no Brasil, as três Ferraris estavam reunidas pela primeira vez.

CCC F40F50225 - Julio Ogata / Divulgação - Julio Ogata / Divulgação
225S Vignale Spyder, F50 e F40: juntas pela primeira vez
Imagem: Julio Ogata / Divulgação

Não poderia haver cartão de visitas mais poderoso para o Classic Car Celebration do que juntar carros raros que raramente saem da toca. A poucos metros do trio de Maranello, um Lamborghini Countach preto e com rodas douradas é vigiado de perto por um trator, o veículo que marca o início da fabricante italiana, em 1948.

CCC Lamborghinis - Julio Ogata / Divulgação  - Julio Ogata / Divulgação
Trator Lamborghini entre um Miura e um Countach
Imagem: Julio Ogata / Divulgação

A cada passo do, o prazer de encontrar ao vivo o que se conhecia apenas por fotos: Maserati 3500 GT, Maserati Ghibli, Lancia Fulvia Sport Zagato, Iso Grifo, Alfa Romeo Giulietta Sprint Speciale, Alfa Romeo SZ ...

Alfa Romeo SZ - Julio Ogata / Divulgação - Julio Ogata / Divulgação
Alfa Romeo SZ
Imagem: Julio Ogata / Divulgação

Italianos pareciam dominar, mas havia alemães às pencas, como Porsche 911, Audi RS 2, BMW 2002, BMW M3 (E30) e Mercedes-Benz SL - este parecia ter formado um clubinho à parte, com vários exemplares ao redor do "Asa de Gaivota", o mais glorificado dos SL.

CCC SL - Julio Ogata / Divulgação  - Julio Ogata / Divulgação
Mercedes SL reunidos em várias gerações
Imagem: Julio Ogata / Divulgação

Entre os americanos, também em peso, destaque para dois Ford Thunderbird da cobiçada primeira geração...

CCC Ford TB - Julio Ogata / Divulgação  - Julio Ogata / Divulgação
Ford Thunderbird
Imagem: Julio Ogata / Divulgação

...um Chevrolet Corvette também da primeira safra...

CCC Corvette 54 - Julio Ogata / Divulgação  - Julio Ogata / Divulgação
Chevrolet Corvette 1954
Imagem: Julio Ogata / Divulgação

...e um Dodge Matador, pelo que se sabe único no Brasil.

Dodge Matador - Julio Ogata / Divulgação - Julio Ogata / Divulgação
Dodge Matador
Imagem: Julio Ogata / Divulgação

Cord 812, aquele que o Metropolitan Museum of Art descreveu como "a maior contribuição dos Estados Unidos ao design de automóveis"? Havia dois, um sedã (Beverly) e um conversível (Phaeton).

CCC Cords - Julio Ogata / Divulgação  - Julio Ogata / Divulgação
Cord 812 Beverly e Phaeton
Imagem: Julio Ogata / Divulgação

Carros nacionais não ficaram de fora. Havia Opala, Maverick e SP2, além dos raros fora-de-série Santa Matilde e Puma GT DKW.

Puma DKW - Julio Ogata / Divulgação - Julio Ogata / Divulgação
Puma GT DKW, Willys Interlagos e VW SP2
Imagem: Julio Ogata / Divulgação

Até mesmo a Checoslováquia foi representada. No caso, com um Tatra T87 1947 e seu motor motor V8 traseiro.

Tatra T87 - Julio Ogata / Divulgação  - Julio Ogata / Divulgação
Tatra T87
Imagem: Julio Ogata / Divulgação

Araxá x Classic Car Celebration

Logo na primeira edição - que reuniu mais de 200 exemplares no último final de semana - o Classic Car Celebration impressionou até mesmo a elite do antigomobilismo nacional. "Pela quantidade e qualidade dos carros, gostei mais do que de Araxá", confessa um colecionador, ex-proprietário da F50 e que trouxera para o evento um Chevrolet Corvette Stingray.

CCC Iso Grifo - Julio Ogata / Divulgação  - Julio Ogata / Divulgação
Iso Grifo 1965
Imagem: Julio Ogata / Divulgação

"Acho que é um evento que já se apresenta, ao lado de Araxá, como referência em refinamento e nível de raridade dos carros", filosofou outro participante.

CCC corrida nacional - Julio Ogata / Divulgação  - Julio Ogata / Divulgação
Ícones do automobilsmo nacional também estavam no Classic Car Celebration
Imagem: Julio Ogata / Divulgação

O evento mineiro foi inclusive uma inspiração para o paulista, realizado no Hotel Fazenda Dona Carolina, em Itatiba. "Sonhávamos em reunir as grandes coleções num lugar só. Ouvimos os organizadores dos principais eventos para chegar a este formato. E o pessoal de Araxá nos deu total apoio", explica Gustavo Tannuri, um dos idealizadores do Classic Car Celebration.

CCC Geral  - Julio Ogata / Divulgação  - Julio Ogata / Divulgação
Classic Car Celebration
Imagem: Julio Ogata / Divulgação

Na próxima edição, prevista para 2022, a intenção é abrir para público restrito - o que não aconteceu, também, por influência da pandemia do coronavírus. "Nosso evento é para quem entende de carro, está familiarizado com a cultura do antigomobilismo. Não importa a classe social, são bem-vindos os amantes dos clássicos", defende Tannuri.

CCC Maserati 3500 - Julio Ogata / Divulgação - Julio Ogata / Divulgação
Maserati 3500
Imagem: Julio Ogata / Divulgação

"Acho que tem que ser aberto na próxima edição. Deve haver alguma seleção, pois são carros raros e caros. Mas é importante mais gente conhecer esses carros e assim difundirmos a cultura do automóvel clássico", acrescenta José Luiz Gandini, que emprestou ao evento seu Packard Eight Roadster 1931.

Packard Eight Roadster 1931 - Julio Ogata / Divulgação  - Julio Ogata / Divulgação
Packard Eight Roadster 1931
Imagem: Julio Ogata / Divulgação

O colecionador acredita que o Classic Car Celebration deve seguir o exemplo de Araxá, sempre associado a uma marca de automóveis. No ano passado, chamou-se Brazil Classics Renault Show, mas já foi Fiat e Mercedes também.

CCC Volks - Julio Ogata / Divulgação  - Julio Ogata / Divulgação
Dupla rara da Volkswagen: 411 e Variant alemã
Imagem: Julio Ogata / Divulgação

"Tem que achar um jeito de cobrir as despesas. Até porque ali está um público formador de opinião, então é importante mostrar seus produtos. Se houver condições, a Kia Motors é candidata", avalia Gandini, também presidente da marca sul-coreana no Brasil.

CCC Ferrari  - Julio Ogata / Divulgação - Julio Ogata / Divulgação
Ferrari 225S Vignale Spyder 1952
Imagem: Julio Ogata / Divulgação

Best Of Show

Ao fim do evento, um Daimler Sedanca De Ville by Gurney Nutting 1939 foi eleito o mais notável. "O singular aqui é que, geralmente, os modelos Sedanca, caracterizados pelo motorista sentado na parte descoberta, enquanto os passageiros iam no conforto , fechados, geralmente têm quatro portas. Cupês, como este, são raríssimos", explica Julio Penteado, um dos jurados e colaboradores do evento.

Único do Brasil, tem motor de oito cilindros em linha e, nas portas, acabamento em treliça. "Não se poupou esforços para deixá-lo igual ou melhor do que quando saiu do ateliê de montagem", avalia Penteado.

Conquistar um "Best Of Show" não é apenas simbólico. "Equivalentes a um prêmio Nobel, essas coroações enriquecem o currículo do carro e abrem portas para concursos internacionais", conclui.