Vida

Mercado automobilístico | Toyota mais barato que Corolla não embala e motadora busca substituto

Mercado automobilístico | Toyota mais barato que Corolla não embala e motadora busca substituto

Apesar de ser um bom produto, o Toyota Yaris nunca conseguiu deslanchar em vendas no Brasil. O hatch e o sedã compactos premium vieram para brigar na mesma categoria de Volkswagen Polo e Virtus, modelos que tradicionalmente registram mais emplacamentos.

Durante a pandemia, a dupla da Toyota, uma das marcas menos afetadas pela falta de componentes e semicondutores, tem até se sobressaído ante a escassez de rivais. Contudo, parece que isso não tem sido suficiente.

De acordo com o reportagem de João Brigato para o site Auto+, a Toyota já desistiu da reestilização que estava programada para o Yaris no Brasil e já se mobiliza para substituí-lo em algum momento por um SUV abaixo do Corolla Cross. Vale lembrar que neste ano o Etios já saiu de linha no País.

Segundo Cássio Pagliarini, consultor da BrightConsulting, a Toyota está deixando de investir no segmento de compactos mais acessíveis porque a "conta não fecha", considerando o volume de vendas e os custos de fabricação.

"Se for possível substituir um hatch por SUV ou picape, que têm maior rentabilidade, que dão mais lucro, é o que as marcas estão procurando", diz Pagliarini.

O consultor acrescenta que o segmento de hatches já representou mais de 40% do mercado, caiu para 30% em 2018 e hoje desceu mais ainda, para pouco mais de 20% de todos emplacamentos,

"O mercado de hatches está encolhendo, e um dos principais motivos é o fato de que eles estão ficando muito caros para serem competitivos", afirma.

Guinada rumo aos SUVs

Siga o UOL Carros no

É justamente nos SUVs que a Toyota está de olho. A empresa, que nunca viu a família Yaris conseguir superar o Corolla sedã, mesmo sendo mais barata, viu que o Corolla Cross tem ido melhor do que a encomenda após sua chegada ao mercado.

O utilitário esportivo médio já tem superado o "irmão" sedã, especialmente em agosto, mesmo com menos tempo de rua e de loja. Justamente por essa razão, a Toyota, que não está imune à escassez de componentes eletrônicos, recentemente tirou a central multimídia de fábrica do sedã, aparentemente de forma pontual, para direcionar as unidades disponíveis para o Corolla Cross.

Uma fonte ligada ao setor diz, sob a condição de anonimato:

"A Toyota não entra em nada para perder dinheiro. Se ela está vendo que o mercado hoje prefere os SUVs, ela vai atender os desejos do consumidor".

A mesma fonte reforça que, "assim como o Etios deixou de ser produzido para o mercado brasileiro, mas atende mercados vizinhos a partir daqui, o mesmo pode acontecer com Yaris hatch e sedã.

Por fim, afirma:

"O Yaris é bem avaliado pela crítica, não é tão vendido quanto rivais, mas também sempre custou mais do que modelos melhores em itens como a conectividade, que é tão importante ao brasileiro".

Raize seria o substituto do Yaris

Toyota Raize - Divulgação - Divulgação
Toyota Raize
Imagem: Divulgação

A Toyota ainda tem espaço para, pelo menos, mais um SUV na sua gama no Brasil. O Corolla Cross é um médio, que briga na categoria do Jeep Compass, por exemplo.

Com preços entre R$ 80 mil e R$ 104 mil, o Yaris nas versões mais caras está exatamente no preço de entrada dos SUVs compactos - que têm progressivamente substituído os hatches compactos mais completos e os hatches médios no gosto do consumidor.

O produto para a entrada da montadora nessa categoria em solo brasileiro já existe, tem cara de míni RAV4 e nome: Toyota Raize. O SUV pequeno já foi apresentado em mercados emergentes e é baseado no Rocky, da Daihatsu, marca japonesa que também pertence à Toyota.

A Toyota, inclusive, já registrou o modelo no INPI (Instituto Nacional da Propriedade Industrial) no ano passado. O pequeno SUV usa também a plataforma modular TNGA de Corolla e RAV4, em uma versão menor.

Lá fora tem motores 1.0 e 1.2 turbo a gasolina com câmbio manual de cinco marchas ou automático do tipo CVT. Para alguns mercados, conta até com tração integral como opcional à tração dianteira.