Vida

Ka e Ecosport dão adeus | Carros zero km esgotam e fazem vendas da Ford despencar no país

Ka e Ecosport dão adeus | Carros zero km esgotam e fazem vendas da Ford despencar no país

Nesta semana, a Ford finalmente tirou do seu configurador no site brasileiro o SUV compacto Ecosport e a família Ka, que tinha hatch e sedã, além de um aventureiro. Isso significa que os últimos Ford produzidos no Brasil acabaram de vez.

De acordo com a companhia do oval azul "os estoques da fábrica estão exauridos, mas existem ainda algumas poucas unidades espalhadas pela rede de concessionários".

Os modelos deixaram de ser produzidos instantaneamente no Brasil na segunda quinzena de janeiro quando o anúncio foi feito e pegou o mercado de surpresa.

O estoque das lojas e da montadora durou ainda para cerca de dois meses, mas já focados em versões mais básicas, em fevereiro, um mês após a parada, estava difícil encontrar exemplares de topo nas lojas.

O anúncio com o fim de todas as operações de fábricas no Brasil pegou o mercado de surpresa e, claro, teve sérios resultados no desempenho da Ford no Brasil como vocês verão abaixo.

Em dezembro de 2020, a empresa ocupava a quinta posição no mercado de emplacamento de veículos, com 7% do mercado. Em março de 2021, ela é apenas a décima com 2,4%. Os dados são da Fenabrave, federação que reúne os concessionários de todo o País.

Em números, isso representa que a Ford foi de 16.430 exemplares emplacados em dezembro para 4.304 unidades no último mês. Se compararmos o primeiro trimestre de 2020, no início do cenário da pandemia do novo coronavírus, o mesmo período desse ano queda é a mesma.

Nos primeiros três meses de 2020, a Ford ocupava a 5ª colocação do mercado com 8,7% de participação, o que é equivalente a 39.382 unidades emplacadas. Em 2021, no mesmo recorte, a empresa amarga a mesma 10ª posição com 10.554 exemplares e 2,6% de mercado.

No acumulado de 2020, a empresa fechou o ano no 5º lugar, posição que foi sustentada durante todo o último ano até o fechamento, com 139.255 unidades e 7,1% do mercado. A frente dela reinaram as marcas GM, VW, Fiat e Hyundai.

Ou seja, em todos os cenários, a companhia foi para o final do ranking de vendas, superando basicamente marcas de luxo ou que sempre tiveram uma participação pequena de mercado, como as francesas do então grupo PSA Peugeot-Citroën, parte da atual Stellantis, e Mitsubishi.

Ford Ka e Ford Ecosport edição de 100 anos - Divulgação - Divulgação
Imagem: Divulgação

Ecosport e Ka

O fim melancólico dos dois modelos foi garantido "raspando o fundo da panela" em exemplares emplacados no mês de março. O hatch compacto comercializou 1.257 unidades. No acumulado do trimestre são 6.178 unidades.

Como métrica de comparação, o Chevrolet Onix teve um "mês ruim" em março, emplacando "apenas" 7.933 unidades, o que o colocou em terceiro entre os mais vendidos, atrás do Hyundai HB20, líder da categoria em março, com 8.012 carros.

No caso do Ka Sedan, março foi ainda mais triste, já que emplacaram apenas 222 unidades. Único sedã a figurar entre os 10 mais vendidos, na décima posição, o Onix Plus teve 5.450 unidades comercializadas.

O Ecosport, que iniciou a tendência dos SUVs compactos, emplacou 315 unidades em março. No trimestre foram 2.417 unidades. Isso o coloca atrás, tanto no mês quanto o acumulado, do Toyota SW4, por exemplo. Foram 1.057 emplacamentos em março e 2.604 no trimestre. Lembrando que o SW4, importado da Argentina, ou seja sem impostos, parte de R$ 215.990 na versão mais barata.