Vida

Hapvida nega superlotação em leitos de UTI: 'não condiz com a realidade'

Hapvida nega superlotação em leitos de UTI: 'não condiz com a realidade'

hospital hapvida 1 - Hapvida nega superlotação em leitos de UTI: 'não condiz com a realidade'

O Sistema Hapvida negou, neste domingo (07), que suas unidades estejam no limite da capacidade em relação à ocupação dos leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI). Segundo a instituição, há uma expansão constante, além de alternativas para manter o atendimento aos clientes.

“A informação de que o Hapvida encontra-se com todos os leitos ocupados não condiz com a realidade. O sistema trabalha com uma rede própria, que é composta por hospitais e prontos atendimentos. A empresa, acompanha diariamente os indicadores de procura das emergências por síndrome gripal e internações pelo mesmo motivo”, disse em nota.

Ainda conforme a Hapvida, “Há, também, a transferência de equipamentos e de profissionais para outras unidades da rede, de acordo com o aumento na demanda por serviços médico-hospitalares”, observou. Ontem, a Secretaria de Estado da Saúde (SES) informou que 94% dos leitos da rede pública estão ocupados na região metropolitana.

Em relação aos hospitais privados, a secretaria informou que em algumas unidades já há lotação máxima de vagas de UTI.

Leia a nota da Hapvida, a seguir:

Desde que o coronavírus se tornou realidade no Brasil, o Sistema Hapvida tem expandido sua rede e customizado à medida da necessidade de seus clientes, com alternativas para manter suas estruturas plenamente equipadas e os profissionais preparados, no combate à Covid-19.

A informação de que o Hapvida encontra-se com todos os leitos ocupados não condiz com a realidade. O sistema trabalha com uma rede própria, que é composta por hospitais e prontos atendimentos.

A empresa, acompanha diariamente os indicadores de procura das emergências por síndrome gripal e internações pelo mesmo motivo. Com vasta experiência em 53 cidades, nas cinco regiões do País, durante a pandemia, a rede consegue prever a demanda de leitos e já conta com planos de expansão em ondas, conforme a necessidade.

Há, também, a transferência de equipamentos e de profissionais para outras unidades da rede, de acordo com o aumento na demanda por serviços médico-hospitalares. Em meio a todo este cenário, reiteramos a preocupação do Sistema com a situação vivida pelo país e seguimos empenhados em realizar o melhor atendimento para os nossos clientes.