Vida

Carros | Volvo XC40 Recharge: SUV elétrico de 408 cv anda como superesportivo

Carros | Volvo XC40 Recharge: SUV elétrico de 408 cv anda como superesportivo

Faz um bom tempo que o carro elétrico deixou de ser um modelo esquisitão e sem qualquer tipo de prazer ao dirigir. Prova disso está nos cultuados Tesla Model S e Porsche Taycan, que combinam desempenho explosivo com um design sedutor.

Por mais inusitado que pareça, essa combinação também pode ser atribuída ao Volvo XC40 Recharge. Afinal de contas, os 408 cv gerados pelos dois motores elétricos fazem com que ele precise de meros 4,9 segundos para ir de 0 a 100 km/h.

Segurança a todo momento

Quis o destino, porém, que uma tempestade prejudicasse nosso primeiro contato com o XC40, impossibilitando qualquer tentativa de aceleração plena.

De toda maneira, foi possível sentir um gostinho de tudo que os dois motores (cada um deles instalado em um eixo) são capazes de fazer. O torque instantâneo de impressionantes 660 Nm (ou aproximadamente 67,3 kgfm) é perfeito para causar sustos nos distraídos, na maioria das vezes seguidos por um largo sorriso do rosto.

A direção leve nas manobras de baixa velocidade fica mais firme conforme a velocidade aumenta, proporcionando maior sensação de segurança mesmo nas várias situações de aquaplanagem parcial que vivenciamos nas rodovias gaúchas. Ajudaram nesta condição os pneus traseiros, que são mais largos do que os dianteiros.

E mesmo se algo desse errado, era reconfortante saber que estava dentro de um Volvo. Assim como todos os carros da marca, o SUV tem um generoso pacote de itens de segurança e assistências à condução.

Entre eles, há alerta de colisão frontal, frenagem autônoma de emergência, assistente de permanência em faixa, câmera com visão em 360 graus e o ótimo piloto automático adaptativo com função Pilot Assist, capaz de acelerar, frear e até fazer curvas leves sem intervenção do condutor.

Tudo que o motorista precisa fazer é encostar suas mãos no volante periodicamente para que o sistema tenha certeza de que há alguém lá em caso de emergência.

Como liga?!

VIsualmente, o XC40 Recharge tem poucas diferenças em relação às versões híbridas plug-in. São apenas detalhes como a grade fechada e o desenho das rodas, além do discreto logotipo na tampa do porta-malas.

E falando em porta-malas, a capacidade volumétrica total é de 444 litros dividida em dois compartimentos: são 413 litros atrás do banco traseiro e mais 31 litros na dianteira, onde normalmente ficaria o motor.

A surpresa maior, porém, está do lado de dentro. Curiosamente, o SUV não tem freio de estacionamento e, pasme, nem botão de partida do motor. Basta engatar a marcha "D" para que o veículo já esteja pronto para rodar e selecionar a posição "P" para que o freio de estacionamento seja acionado eletricamente.

A central multimídia com tela vertical traz suporte ao Google Automotive Services, que integra o sistema de entretenimento a diversos serviços oferecidos pelo Google. Basta parear seu smartphone com o veículo para ter acesso a todas as informações de sua conta Google dentro do carro, como compromissos, agenda de contatos e músicas preferidas.

A Volvo declara autonomia superior a 400 quilômetros, sendo que 80% da carga pode ser obtido em um carregador rápido com apenas 40 minutos de uso.

Condições especiais

O XC40 Recharge teve sua pré-venda iniciada em maio por R$ 389.950. Por conta do sucesso, a Volvo declarou que manterá o valor inalterado até o final deste ano.

Quem adquirir o SUV na pré-venda também levará para casa um pacote completo de serviços agregados. Estão inclusos 3 anos de garantia ou 100 mil quilômetros, 3 anos de serviços de revisão (ou 100 mil quilômetros), 3 anos de cobertura para discos, pastilhas de freio e palhetas dos limpadores caso necessário, 3 anos de Volvo On Call e assistência 24h, 4 anos de pacote de serviços online e 8 anos de garantia das baterias.

Com tudo isso, a fabricante projeta comercializar 450 unidades até o final deste ano. Pelas projeções da Volvo, este volume seria suficiente para atingir 29% de participação do mercado de veículos elétricos, o que daria a liderança do segmento à marca sueca.

De quebra, a meta também garantiria uma participação de mercado de 63% no segmento de veículos eletrificados, somando aí os números de 100% elétricos e híbridos plug-in. Neste cenário, a Volvo projeta vender 8 mil carros.