Vida

1ª habilitação | 'Não buzine, é pior': jovem viraliza com 'alerta' no carro

1ª habilitação | 'Não buzine, é pior': jovem viraliza com 'alerta' no carro

"Acabei de tirar habilitação. Não buzine. Isso me assusta e é pior. Tenha paciência. Obrigada". É com essas palavras escritas em uma folha de papel sulfite e colada na traseira de um Fiat Idea que a jovem recém-habilitada Giovanna Milito, de 18 anos, circula pelas ruas de Santos, no litoral de São Paulo.

Avisar os outros motoristas sobre sua pouca experiência ao volante foi a maneira que a jovem encontrou de dirigir pelas ruas da cidade sem levar buzinadas.

"No primeiro dia que eu peguei o carro, parei em um cruzamento e acabei afogando. Os motoristas começaram a buzinar e eu me desesperei e comecei a chorar. Depois disso colocamos a plaquinha, para que as pessoas tenham um pouco de paciência", explica a jovem.

A placa foi colocada no carro da família há aproximadamente 10 dias. Mas, no fim de semana, um outro motorista que circulava pela cidade viu o carro com o pedido da jovem e registrou o momento. A foto foi postada nas redes sociais e logo viralizou.

Jovem recém-habilitada - Arquivo Pessoal - Arquivo Pessoal
Imagem: Arquivo Pessoal

"Desde que colocamos a plaquinha os motoristas comentavam. Muitos me parabenizavam pela iniciativa e por não desistir de tentar dirigir. Outros falaram que gostaram da ideia e que também pretendiam fazer plaquinhas. A aceitação sempre foi muito boa. Eu só não imaginava que iria viralizar na internet e tomar grandes proporções como está tomando", conta a recém-motorista.

Giovanna foi morar na casa de um familiar nos Estados Unidos há um ano para fazer intercâmbio e lá tirou sua habilitação, em maio de 2020. Ao retornar para o Brasil, em novembro, teve dificuldades de se adaptar aos carros e ao trânsito local.

"Lá a maioria dos carros são automáticos, até os mais antigos. Além disso, as ruas são bem mais largas, então os carros ficam distantes uns dois outros. Sem contar que lá quase não tem pessoas andando a pé nas ruas, e as que têm usam a faixa de pedestres, então a rua fica livre para os carros mesmo", acrescenta Giovanna.

A ideia de "avisar" os demais motoristas sobre a falta de prática ao volante partiu da mãe da jovem, a professora Iara Milito, de 47 anos. Ela relata que teve a ideia ao sair com a filha de carro e vê-la se apavorar em um cruzamento.

"Há mais de 20 anos eu fui passar férias na casa de uma amiga na França e, quando ela foi sair com o carro da família, colocou uma plaquinha com a letra A. Sem entender, eu questionei a atitude e ela explicou que aquela letra significava que ela tinha pouco tempo de habilitação e era considerada aprendiz. Assim os demais motoristas tinham mais paciência", conta a professora.