Tecnologia

Saiba como controlar o dinheiro e organizar as contas pelo celular

Saiba como controlar o dinheiro e organizar as contas pelo celular

Resumindo a Notícia

  • Aplicativos de organização de finanças podem ajudar pessoas no planejamento deste ano
  • Apps dos bancos e planilhas do Excel também podem ser alternativas para a organização
  • Anotações no bloco de notas podem auxiliar na organização no próprio celular
  • Especialista destaca que, antes de usar os aplicativos, as pessoas precisam ser organizadas

O começo do ano é um período de planejamento para o que virá a acontecer nos próximos 12 meses e um dos projetos mais comuns é o de tentar ter mais controle sobre as finanças pessoais.

Qualquer pessoa pode usar um smartphone para encontrar um bom aplicativo para se planejar financeiramente e deixar de lado as tradicionais anotações em lápis e papel.

“O aplicativo pega o extrato do banco e, de maneira geral, o organiza em espécies de caixinhas. Além disso, ele te dá alguns lembretes, e organiza para você os prazos. Assim, você pode fazer a comparação de gastos e receitas com os meses e anos passados”, diz osócio-fundador da ZenEconomics Luiz Fernando Roxo.

Leia também
  • Alemão esquece senha e pode perder R$ 1 bilhão em Bitcoins
  • Brasileiros têm dificuldade para detectar e-mails falsos, diz pesquisa
  • Facebook vai remover conteúdo com a frase "parem com o roubo"

Alguns apps têm ainda funcionalidades tecnplógias que podem fazer a diferença na hora de escolher baixar no smartphone.

"Alguns aplicativos já utilizam a inteligência artificial para entender com o que você mais gasta o dinheiro e onde você mais precisa economizar. Isso pode facilitar bastante o controle financeiro", destaca o educador financeiro, William Ribeiro.

William também indica quatro aplicativos que possuem serviços acessíveis e muito eficientes para a organização de seus usuários: Organize, Mobills, Guiabolso e Olivia. Este último, de acordo com ele, é um dos que usam a inteligência artificial para fazer o planejamento de despesas e receitas.

O sócio-fundador da ZenEconomics orienta que é preciso utilizar um app de confiança, dado que alguns solicitarão acesso à sua conta do banco. “Você normalmente fornece seus dados bancários e a senha de quatro dígitos. É um tipo de exposição muito grande, então é preciso ter confiança no aplicativo.”

Apps dos bancos e outras alternativas

Além dos softwares de organização das finanças pessoais, Roxo destaca que o app do próprio banco pode auxiliar nesse planejamento financeiro. Segundo ele, fazer um monitoramento quinzenal é o suficiente para saber o que está se passando com a respectiva conta.

Já o educador financeiro destaca também que as famosas planilhas de Excel podem ser uma alternativa para fazer o monitoramento das finanças, mesmo que ela seja usada nos celulares. "Depois de saber o seu perfil de gasto mensal, você pode dividir a sua planilha em gastos essenciais, gastos pessoais e gastos financeiros.

Segundo ele, os gastos essenciais são o aluguel, transporte, higiene e impostos, os pessoais são academia, TV por assinatura, cinema e vestuário, e os financeiros são as dívidas, como parcelamento de uma casa ou de um carro.

Veja também
  • Procon-SP notifica Facebook sobre mudanças nos termos do WhatsApp
    Tecnologia e Ciência

    Procon-SP notifica Facebook sobre mudanças nos termos do WhatsApp

  • Privacidade: Saiba a importância de se ler os termos de uso
    Tecnologia e Ciência

    Privacidade: Saiba a importância de se ler os termos de uso

  • Arábia Saudita anuncia projeto de cidade de carbono zero
    Tecnologia e Ciência

    Arábia Saudita anuncia projeto de cidade de carbono zero

Antes de tudo, ser uma pessoa organizada

O especialista afirma que, independendemente de usar diferentes aplicativos ou planilhas, é importante a pessoa ser organizada de maneira geral, atentando-se principalmente às despesas. "As pessoas precisam cuidar muito bem das despesas porque, a curto e médio prazo, elas são o único fator que você domina totalmente."

Luiz Fernando ainda destaca que algumas práticas podem prejudicar quem está pensando em se planejar financeiramente para este ano. "O 'eu mereço' e o 'a vida é hoje' são exemplos de atitude que podem criar uma armadilha para você mesmo. As pessoas precisam arruma ruma outra fonte de prazer que não seja gastar", ressalta o economista.

*Estagiário do R7 sob supervião de Pablo Marques

Compartilhe: