Tecnologia

Plataforma de EAD na França é alvo de ciberataques de Rússia e China

Plataforma de EAD na França é alvo de ciberataques de Rússia e China

A plataforma estatal de educação à distância da França foi vítima na semana passada de vários ataques cibernéticos procedentes da Rússia e China, informou uma fonte próxima à investigação nesta segunda-feira (12).

O Ministério Público de Paris abriu na semana passada uma investigação sobre uma série de ciberataques contra o Cned (Centro Nacional de Educação à Distância), que era tradicionalmente usado por alunos no exterior ou em áreas isoladas, e passou a ser usado também por parte de crianças e jovens afetados pelo fechamento das escolas devido à pandemia de covid-19.

O ministro da Educação, Jean-Michel Blanquer, disse na terça-feira passada que eram "ataques informáticos procedentes do exterior", sem dar mais detalhes sobre sua origem.

As crianças na França voltaram às aulas à distância na semana passada após o fechamento das escolas devido a um surto de covid-19.

Em fevereiro deste ano a Agência Nacional de Segurança dos Sistemas de Informação da França (Anssi) já havia declarado ter identificado um outro ciberataque que possivelmente estava ligado ao grupo russo hacker Sandworm, que afetou várias empresas do país entre o final de 2017 e 2020.