Política

Na casa de Naji Nahas | Quem é quem no jantar em que Michel Temer ri de imitação de Bolsonaro

Na casa de Naji Nahas | Quem é quem no jantar em que Michel Temer ri de imitação de Bolsonaro

Um vídeo de um jantar de empresários e políticos com a presença do ex-presidente do Brasil Michel Temer (MDB) foi divulgado e viralizou nas redes sociais na manhã de hoje.

No vídeo, Temer aparece dando risada de uma imitação do presidente (sem partido). A gravação surge menos de uma semana após o ex-presidente ter se encontrado com o atual mandatário e ter lhe . O conteúdo do texto e a crise com o Judiciário são temas das piadas.

Pelas imagens, ao menos 18 pessoas compareceram ao encontro. Abaixo, o UOL lista alguns dos rostos reconhecidos nas imagens divulgadas do jantar.

Paulo e André Marinho

Paulo Marinho e seu filho, André Marinho - Reprodução - Reprodução
Paulo Marinho e seu filho, André Marinho
Imagem: Reprodução

Paulo Marinho é rosto conhecido do empresariado e da política fluminense. Em 2018, ele foi um dos principais articuladores e entusiastas da campanha presidencial de Jair Bolsonaro em 2018 —a casa dele foi usada para gravação de programas eleitorais e reuniões da campanha do capitão.

Marinho é o primeiro suplente do senador e filho do presidente, (Patriota-RJ), no Senado Federal.

Mas a história do político carioca com a família Bolsonaro terminou em briga pública em 2019, .

Hoje, Marinho integra o grupo político do governador de São Paulo, (PSDB), e irá atuar na campanha do tucano à Presidência em 2022.

Já seu filho, André Marinho, é um humorista e influenciador digital. Conhecido por boas imitações, André participa do programa Pânico, na rádio Jovem Pan, e é crítico em seus comentários ao governo Bolsonaro. Ele já chegou a trocar socos no meio do programa com o bolsonarista Tomé Abduch.

Naji Nahas

Naji Nahas, Michel Temer e Antônio Carlos Pereira - Reprodução - Reprodução
Da esquerda para a direita, Naji Nahas, Michel Temer e Antônio Carlos Pereira
Imagem: Reprodução

Anfitrião do jantar, Naji Robert Nahas é um empresário megaespeculador brasileiro que ficou conhecido pela quebra da Bolsa de Valores do Rio de Janeiro em 1989. Acusado de corrupção e lavagem de dinheiro, Nahas chegou a ser preso pela Polícia Federal em 2008 em uma operação ligada às investigações do escândalo do mensalão.

Ele também é acusado de ter ligação com a desocupação da região do Pinheirinho, no interior paulista, em 2012, onde mais de 6.000 pessoas desabrigadas, que moravam de forma irregular, foram removidas à força pelas forças policiais paulistas paós decisão judicial.

Antonio Carlos Pereira

Antonio Carlos Pereira foi diretor e editor do caderno de "Opinião" do jornal O Estado de S. Paulo, onde desenvolveu longa carreira nas áreas de cultura e política do veículo durante 58 anos. Ele deixou o cargo e se aposentou no começo deste mês de setembro.

Roberto D'Ávila

Roberto D'Ávila em jantar com o ex-presidente Temer - Reprodução - Reprodução
Roberto D'Ávila
Imagem: Reprodução

Roberto Farraretto D'Ávila é advogado, historiador e apresentador de um programa de entrevistas no canal GloboNews. Ele também tem carreira política: foi deputado constituinte pelo PDT entre 1986 e 1990, vice-prefeito do Rio de Janeiro entre 1988 e 1992, além de ter sido secretário e presidente de diversas pastas públicas.

Ele chegou a ser acusado pelo ex-ministro da Fazenda Antonio Palocci que, em delação premiada, disse que D'Ávila teria se oferecido para arrecadar dinheiro para o financiamento do filme "Lula, o filho do Brasil", que trata a história do ex-presidente .

D'Ávila negou e rebateu as acusações à época: "Isso não é verdade. Ele é um delator. É uma mentira deslavada. Isso é uma briga política e botaram o filme do Lula dentro dessa briga. Dez anos atrás ninguém tinha ideia", disse em nota à revista Crusoé.

Gilberto Kassab

Gilberto Kassab tem longa carreira política e é considerado um dos políticos mais influentes do país. Foi deputado federal, prefeito de São Paulo e ministro do governo federal — de Dilma Rousseff (PT) e, depois, do próprio Temer.

Atual presidente do PSD, o último cargo público de Kassab foi na secretaria da Casa Civil do estado de São Paulo. Mas ele decidiu se afastar para se defender de acusações de corrupção e outros crimes.

Johnny Saad

Neto do ex-governador de São Paulo, Ademar de Barros, João Carlos Saad é fundador da Rede Bandeirantes e presidente do Grupo Bandeirantes de Comunicação.

José Yunes

Yunes é um advogado, empresário do ramo imobiliário e político amigo há décadas de Temer. Eles se conheceram ainda na faculdade de direito da USP (Universidade de São Paulo) e atuaram juntos, em 1988, como deputados constituintes para elaboração da Constituição de 1988.

Quando Temer foi alçado presidente, após o impeachment de Dilma, Yunes virou assessor do novo mandatário, mas pediu demissão depois que seu nome foi citado por um ex-executivo da Odebrecht, Claudio Melo Filho, em delação premiada.

Em 2018, Yunes foi preso pela Polícia Federal acusado de envolvimento com propinas ligadas às empresas atuantes no setor portuário logo após um decreto assinado por Temer ampliando os contratos de concessão no Porto de Santos.

Ele também já foi presidente do diretório estadual do MDB em São Paulo e trabalhou na campanha à prefeitura da capital de Marta Suplicy, em 2016, que ficou atrás de Fernando Haddad (PT) e João Doria (PSDB), eleito em primeiro turno.

Raul Cutait

Raul Cutait é médico-cirurgião do hospital Sírio-Libanês, um dos mais famosos centros médicos da capital paulista, membro da Academia Nacional de Medicina e com bom trânsito entre políticos brasileiros.

Cutai já foi médico dos ex-presidentes Lula, Dilma Roussef e do próprio Temer — chegou a ser ventilado como ministro da Saúde do governo de Michel Temer. O médico também cuidou do tratamento do ex-prefeito de São Paulo, Bruno Covas, que faleceu por complicações causadas por um câncer no estômago.

Elsinho Mouco

Marqueteiro político, Elsinho Mouco trabalha junto a Temer há pelo menos 15 anos e teria sido o responsável pela gravação do vídeo no jantar. Ele teve papel fundamental na comunicação de Temer quando ele assumiu a presidência, em 2016. Mouco também integrou a campanha à prefeitura de Celso Russomanno, em 2020