Política

Prefeito de São Paulo | Bruno Covas recebe alta após drenagem no pulmão estabilizar quadro de saúde

Prefeito de São Paulo | Bruno Covas recebe alta após drenagem no pulmão estabilizar quadro de saúde

Internado havia quase duas semanas no Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo, para o tratamento de um câncer, o prefeito da capital paulista, Bruno Covas (PSDB), recebeu alta hospitalar hoje.

No dia 16, os médicos anunciaram novos focos da doença no fígado e nos ossos. Na última semana, disseram que o quadro havia piorado, e que os exames apontaram um acúmulo de líquidos na região do abdômen e pulmão.

Covas estava, desde então, em tratamento com um dreno para reduzir a quantidade de líquido acumulado. Foi preciso, também, que o prefeito fizesse uma alimentação suplementar via cateter durante as madrugadas.

O novo boletim médico de Covas. divulgado na tarde de hoje, explica que a drenagem "evoluiu com sucesso, com redução do líquido e melhora clínica". Por isso, continua a nota, "o prefeito acaba de receber alta hospitalar e está apto a manter suas atividades pessoais e profissionais, porém sem participar de agendas públicas por enquanto".

A alimentação por cateter continuará sendo usada mesmo com o prefeito em casa, conforme informou um médico à reportagem. Bruno Covas só terá de retornar ao hospital para continuar as sessões de quimioterapia e imunoterapia.

"Um susto"

A piora do quadro de Covas foi um susto para todos ao redor do prefeito —inclusive para ele, conforme apurou o UOL com interlocutores e fontes próximas ao prefeito.

Ele foi diagnosticado em outubro de 2019 com um câncer na cárdia, região que liga o esôfago ao estômago. Exames recentes indicaram que o tumor estava em metástase —foram encontrados .

Ano passado, o prefeito concluiu quatro meses de quimioterapia e teve queda de cabelo e barba, além de resultar na perda de alguns quilos. Mas havia sido o suficiente para frear a doença. Desde então, manteve apenas o tratamento de imunoterapia.

Durante o tratamento, Covas apenas tirou alguns dias de licença quando os médicos o orientavam a fazer isso ou quando ele não se sentia bem para trabalhar.

É essa estratégia que o prefeito pretende seguir atualmente, conforme relatam interlocutores. Uma reunião com todos os secretários deve acontecer nesta semana para decidir os detalhes de possíveis afastamentos, caso sejam necessários. Até lá, ele segue trabalhando de casa.

Colegas de trabalho afirmam que as atividades da administração municipal ajudam o prefeito a manter a cabeça ocupada e dão "força" para seguir no tratamento.

Um político e um filiado do PSDB, partido de Covas, contaram que não há clima nem espaço para qualquer pensamento sobre "perder" a prefeitura para o MDB, já que seu vice é o ex-vereador Ricardo Nunes (MDB).

À reportagem eles citam que a "projeção natural" do prefeito é se recuperar e se candidatar ao governo do estado em eleições futuras, seguindo a mesma trilha de seu avô e padrinho político, o ex-governador Mário Covas.

Além do trabalho, o que ajuda o prefeito é estar ao lado do filho, Tomás Covas, de 15 anos —a relação dos dois é descrita como "unha e carne". Ontem, .

A força de vontade do prefeito de se recuperar da doença foi algo que todas as fontes consultadas ressaltaram. No seu Instagram, na última vez em que os médicos tinham divulgado seu novo estado de saúde, Covas publicou o que tem sido seu lema em todas atualizações de boletins médicos: "A luta continua".