Política

Opinião | Josias: Mourão vem falando mais do que o Bolsonaro gostaria

Opinião | Josias: Mourão vem falando mais do que o Bolsonaro gostaria

O colunista do UOL Josias de Souza afirmou hoje, durante o UOL News, que chama atenção a relação que o vice-presidente Hamilton Mourão (PRTB) tem com o presidente (sem partido). Para o colunista, Mourão está falando mais do que Bolsonaro gostaria e o atual mandatário enxerga o vice como uma "ameaça".

Me chama muita a atenção a forma como o presidente Bolsonaro e o vice-presidente Mourão se relacionam. O presidente, por diferentes razões, enxerga o vice como uma ameaça e ele [Bolsonaro] vem excluindo o Mourão de reuniões, eventos oficiais e o Mourão se queixa disso. Ele [o vice] lamenta que o presidente o exclua, ele se diz desinformado sobre as coisas que estão acontecendo no governo. E o general Mourão vem falando mais do que o Bolsonaro gostaria."
Josias de Souza no UOL News

O colunista comentou a entrevista que o vice-presidente concedeu à GloboNews na qual com a população sobre a realidade da pandemia. Mourão ainda declarou que faltou campanhas para orientar as pessoas — não só sobre a vacinação, mas também quanto à realidade da covid-19, que já deixou quase 505 mil mortos no Brasil.

"Nessa entrevista à Globonews o vice disse que o maior erro do governo foi não ter feito uma campanha, chamou de campanha firme, para orientar a população contra a covid. Ele mencionou especificamente as vacinas, algo que o presidente Bolsonaro claramente negligenciou durante a pandemia."

O colunista ainda disse que Mourão parecia um "sanitarista" em suas falas com um discurso de bom senso e "é uma pena" que o atual mandatário não ouça os aconselhamentos de seu vice.

"O vice-presidente Mourão, para desassossego do Bolsonaro, ele vai se consolidando como uma espécie de contraponto geral da república. O Bolsonaro está blindado [pelo centrão], mas acho que ele deveria ouvir mais o vice dele", declarou o colunista.

Josias também comentou que Bolsonaro já sinalizou algumas vezes que não pretende renovar a chapa com Mourão para as eleições de 2022 a fim de convidar o general para ser o seu vice-presidente novamente.

"Eu costumo dizer que o Bolsonaro atingiu o ápice de harmonia com o Mourão porque, apesar de tudo que se diz, o Bolsonaro e o Mourão jamais discutem porque, na verdade, eles já nem se falam. Esse é o estado que nos encontramos. E é uma pena. O general tem contribuições a dar, ele sempre que fala estabelece um contraponto de bom senso e é uma pena que o presidente não ouça. Talvez por isso mesmo, é bom senso demais e não orna muito com o presidente Bolsonaro."