Política

Filho do presidente | Kennedy: Renan expõe que Bolsonaro vê governo como negócio familiar

Filho do presidente | Kennedy: Renan expõe que Bolsonaro vê governo como negócio familiar

A maneira como o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) e seus filhos lidam com o poder foi um dos temas do podcast Baixo Clero #69. "É um caso clássico de mistura entre o público e o privado. O presidente trata a Presidência da República como se fosse um negócio de família", disse o colunista do UOL Kennedy Alencar. "Ele e os três filhos, agora o quarto filho, passam a agir como se a Presidência da República, que é uma instituição, fosse um negócio privado." (Ouça a partir do minuto 10:23)

Reportagem publicada pelo jornal "Folha de S. Paulo" na quinta-feira (10) revelou que Jair Renan, um dos filhos do presidente, obteve serviços de graça de uma empresa que presta serviço para o governo durante a inauguração de sua empresa.

Para Kennedy, "é um caso clássico de tráfico de influência, há uma troca de favores". "O Jair Renan consegue isso porque ele é filho do presidente da República. É uma empresa que tem contrato com o poder público, portanto está estabelecido um problema ético e, inclusive, tem que avançar para ver se há algum delito nessa festinha que foi dada por uma prestadora de serviço do governo", disse. (Ouça a partir do minuto 10:43)

O podcast de política do UOL é apresentado por Carla Bigatto e, nesta edição, teve a participação dos colunistas Kennedy Alencar e Maria Carolina Trevisan.

Na conversa, Kennedy também afirmou que o caso envolvendo Jair Renan seria "mais um exemplo" de que o atual presidente Jair Bolsonaro não enfrenta a corrupção no país. "Isso é uma mentira, assim como é uma mentira ele dizer que a pandemia está no finalzinho. Ele desinforma as pessoas e faz com que as pessoas corram mais riscos. A pandemia não tá no finalzinho, os casos estão aumentando no Brasil."(Ouça a partir do minuto 11:12)

Ele faz referência a mais uma declaração do presidente menosprezando a gravidade do novo coronavírus. Em visita a Porto Alegre, Bolsonaro disse que "ainda estamos vivendo o finalzinho da pandemia".

Na quinta, o Brasil registrou 769 novos óbitos causados pela covid-19 e completou uma semana com tendência de alta na média móvel de mortes. Foram 642 óbitos em média nos últimos sete dias, o que representa uma variação de 35% na comparação com 14 dias atrás.

Nesta edição do podcast de política do UOL, Carla Bigatto e os colunistas também falaram sobre a confirmação da condenação de Robinho por violência sexual, a disputa no Congresso Nacional pelas presidências da Câmara e do Senado, a recente demissão de Marcelo Álvaro Antônio do Ministério do Turismo e as respostas de Brasil e Estados Unidos à pandemia do novo coronavírus.

Baixo Clero está disponível no Spotify, na Apple Podcasts, no Google Podcasts, no Orelo, no Castbox, no Deezer e em outros distribuidores. Você também pode ouvir o programa no YouTube. Outros podcasts do UOL estão disponíveis em uol.com.br/podcasts.