Política

Diálogos da Lava Jato | PF entrega à defesa de Lula mensagens de autoridades hackeadas

Diálogos da Lava Jato | PF entrega à defesa de Lula mensagens de autoridades hackeadas

A Polícia Federal entregou à defesa do ex-presidente , no início da noite de hoje, mensagens de autoridades hackeadas e que foram apreendidas pela Operação Spoofing; as mensagens incluem trocas entre integrantes da força-tarefa da Operação Lava Jato.

O pedido de acesso foi feito pela defesa de Lula ao ministro do (Supremo Tribunal Federal) Ricardo Lewandowski e .

Os advogados do petista enviaram um hoje comunicado ao gabinete de Lewandowski no qual relatam terem retirado, na Superintendência da Polícia Federal do Distrito Federal, dois HDs externos com os arquivos.

Então responsável pela 10ª Vara Federal do Distrito Federal, o juiz Waldemar Cláudio de Carvalho negou a requisição, sob o argumento de que esse tipo de pedido não poderia ser apreciado durante o recesso judiciário.

A defesa voltou a acionar o STF, e Lewandowski . Novo responsável pelo plantão da 10ª Vara Federal, o juiz Gabriel Zago Capanema Vianna de Paiva autorizou o acesso na última semana.

O acesso é restrito apenas às mensagens que direta ou indiretamente, refiram-se a Lula ou que tenham relação com as investigações e as ações penais contra ele. A Operação Spoofing foi deflagrada em julho de 2019 e buscou desarticular uma organização criminosa de crimes cibernéticos.

Operação Spoofing

O grupo de investigados pela Operação Spoofing é suspeito de invadir os celulares de autoridades e acessar suas mensagens privadas em aplicativos. Já foram alvos de hackers o ex-juiz federal e ex-ministro da Justiça , o ex-coordenador da força-tarefa da Lava Jato em Curitiba, procurador Deltan Dallagnol, o presidente da República, (sem partido), o presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), e o presidente da Câmara, (DEM-RJ).

Em 2019, o site The Intercept Brasil publicou uma série de reportagens com base em mensagens atribuídas a Moro e Dallagnol, entre outros integrantes da força-tarefa da Lava Jato. As reportagens mostram conversas deles sobre assuntos investigados. Uma matéria do Intercept afirma que as mensagens "revelam colaboração proibida de Sergio Moro com Deltan Dallagnol na Lava-Jato". A defesa de Lula busca reverter condenações na Justiça alegando parcialidade dos envolvidos junto a mais argumentações.