Política

Apalpou deputada no plenário | Cury contrata especialista em gestão de crise após assediar Isa Penna

Apalpou deputada no plenário | Cury contrata especialista em gestão de crise após assediar Isa Penna

O deputado estadual Fernando Cury (Cidadania), , em uma sessão pública na Alesp (Assembleia Legislativa de São Paulo), contratou uma empresa de comunicação institucional para tentar controlar a crise que gira em torno de sua imagem.

Desde a divulgação do caso, o UOL pede entrevistas a Cury, para que ele tenha a oportunidade de se defender das acusações de importunação sexual. Cury afirmou via assessoria que os esclarecimentos necessários poderiam ser encontrados na nota e e que não foi informado oficialmente pelo partido da .

Hoje, porém, o assessor de imprensa direto do deputado repassou o "contato da pessoa responsável por cuidar especificamente desse caso". A "pessoa" citada pelo assessor de Cury é Milton Abrucio Junior, diretor geral da CDN Comunicação desde abril de 2012. Em sua descrição no LinkedIn, Abrucio Junior afirma ser especialista em gestão de crises — com imprensa e público interno — e em gestão de relacionamento com mídias sociais e gestão de sustentabilidade.

Entre suas atribuições, o diretor da CDN afirma dirigir equipe de atendimento em comunicação e relações públicas para grupos e empresas grandes, a exemplo da Odebrecht, com equipe de 20 pessoas divididas nas cidades de São Paulo, Rio de Janeiro e Washington.

A reportagem tenta, sem sucesso, contato com Milton Abrucio Junior. Se enviadas, sua posição e a de Cury serão publicadas.

Comissão da Alesp terá duas mulheres

Num primeiro momento, a comissão teria apenas uma mulher, a presidente, Maria Lúcia Amary (PSDB). No entanto, . Além delas, formam a comissão: Adalberto Freitas (PSL), Emidio de Souza (PT), Barros Munhoz (PSB), Wellington Moura (Republicanos), Delegado Olim (PP), Alex de Madureira (PSD) e Campos Machado (Avante).

Na quinta-feira (17), em meio a uma sessão na Alesp, a deputada Isa Penna foi apalpada pelo deputado Fernando Cury na altura de seus seios. Pela gravação da cena, é possível ver que, antes do assédio, Cury conversava com Alex de Madureira (PSD), vice-presidente da Comissão de Ética. Madureira tentou segurara o braço de Cury assim que o deputado do Cidadania se dirigiu até a deputada do PSOL.

A Comissão de Ética da Alesp . A previsão é de que a apuração tenha inicio dia 7 de janeiro.

Conselho do Cidadania tem apenas uma mulher

Estava prevista na noite de sexta-feira (19), uma reunião do conselho de ética nacional do Cidadania analisa o caso de Cury, porém, segundo informou o presidente do partido ao UOL, Roberto Freire, não foi possível realizá-la. Ela foi marcada para amanhã (22).

O Conselho de Ética do Cidadania é formado por nove titulares e três suplentes — há apenas uma mulher entre eles.

O deputado estadual Fernando Cury (Cidadania) - Divulgação - Divulgação
O deputado estadual Fernando Cury (Cidadania)
Imagem: Divulgação

Procurado pelo UOL desde a divulgação do caso, Cury afirmou via assessoria que os esclarecimentos necessários poderiam ser encontrados na nota e .

Em nova nota, Cury escreve não ter sido informado oficialmente pelo partido da decisão de afastamento de suas funções diretivas no Cidadania.

"Também ressalto que não houve qualquer notificação de procedimento interno do Conselho de Ética, e por isso, tão logo seja formalmente comunicado, irei apresentar a versão dos fatos, exercendo assim meu direito de defesa", concluiu.

Vídeo da sessão gravou momento do assédio

Um vídeo público da sessão mostra o momento do assédio. As imagens mostram que a deputada conversava com o presidente Cauê Macris (PSDB), apoiada no balcão do plenário, quando Cury se aproximou por trás dela. Em seguida, ele colocou e manteve as mãos na lateral da deputada, na altura dos seios.

"Eu estava de costas, só senti a mão dele escorregar na minha lateral. No momento em que eu senti, virei e falei para ele: 'Quem você acha que você é? Você está louco? Passar a mão em mim assim?' E empurrei, tirei a mão dele", relatou Penna.

A deputada disse ainda que um grupo de deputados estava bebendo antes do início da sessão e que Cury "estava com muito bafo de uísque".

Ela reafirmou ao UOL que sentiu o hálito de álcool do deputado, mas reforçou que não atribui o ato do deputado à bebida. "Não acho que seja relevante, a quantidade de embriaguez. Não quero jamais partir para esse tipo de moralismo hipócrita, porque quem faz isso, faz pior sóbrio."

Comissão na Alesp tem apenas uma mulher

Na Alesp, Isa Penna apresentou uma denúncia formal por quebra de decoro contra Cury. Em sua composição, o Conselho de Ética e Decoro Parlamentar da Casa, que irá analisar o caso, tem apenas uma mulher. A deputada também lançou um manifesto para pedir a cassação do mandato de Cury.

À Folha a deputada Maria Lúcia Amary (PSDB), presidente do conselho, estimou para até março uma decisão sobre as medidas que podem ser tomadas contra o deputado.

Amary disse ainda que trabalhará para que haja isenção no processo e para que a discussão não seja polarizada para "o lado ideológico e sim pela situação em si, pelo caso em si".

"Causou bastante constrangimento, imagens foram muito fortes, não só para nós políticos, mas para nós, mulheres", . A deputada tucana reforçou que "a situação foi grave". "Uma atitude absolutamente inadequada, inoportuna."