País

TCU suspende contrato de imagens de satélites, e PF diz que operações contra queimadas ficam prejudicadas

TCU suspende contrato de imagens de satélites, e PF diz que operações contra queimadas ficam prejudicadas

A ministra Ana Arraes, do TCU (Tribunal de Contas da União), mandou suspender o contrato recém-assinado pela Polícia Federal com a empresa Planet por imagens de satélite.

O acordo custou R$ 49 milhões aos cofres públicos, como mostrou o Painel no fim de agosto.

A PF diz que a paralisação do contrato vai prejudicar uma série de operações ambientais em andamento, entre elas a do Pantanal, que investiga o início das queimadas.

Na decisão, a ministra afirma que análise preliminar de técnicos do tribunal mostra que “a aquisição das imagens contratadas, em tese, não agregaria vantagem alguma que já não fosse oferecida pelo monitoramento desenvolvido pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais, ou mesmo gratuitamente por outras entidades, podendo, eventualmente, configurar prejuízo ao erário federal”.

Arraes pediu informações para a PF, para o Ministério da Justiça, que financiou o contrato, e também quer ouvir o Inpe.