País

HU de Campina Grande realiza cirurgia de retirada de útero através de técnica minimamente invasiva

HU de Campina Grande realiza cirurgia de retirada de útero através de técnica minimamente invasiva

Nesta quarta-feira (03), o Hospital Universitário Alcides Carneiro (HUAC), da Universidade Federal de Campina Grande (UFCG) e vinculado à Rede Ebserh, realizou, pela primeira vez na instituição, a cirurgia de histerectomia total videolaparoscópica. Esse procedimento consiste na retirada do útero da paciente utilizando uma técnica inovadora.

A videolaparoscopia,é um método cirúrgico moderno, realizado com o suporte de uma microcâmera (endocâmera) inserida no corpo da paciente através de pequenos orifícios. Assim, o cirurgião consegue ver o útero por meio de imagens de vídeo transmitidas em um monitor de alta definição. Os instrumentos cirúrgicos entram na cavidade através de tubos, chamados de trocaters, por onde também acontece a entrada de gás carbônico, inserido com o objetivo de inflar o abdome do paciente para que o médico consiga ter espaço para realizar a cirurgia.

O procedimento foi realizado pelos ginecologistas Rodrigo Dantas e Sandra Rolim, com o apoio de uma médica residente de Ginecologia, uma anestesista, um enfermeiro instrumentador e uma enfermeira circulante.

“As histerectomias em si já são realizadas há muito tempo no HUAC e em outros serviços públicos da cidade. Entretanto, a via videolaparoscópica, que é uma modalidade minimamente invasiva, sem os cortes habituais da cirurgia tradicional, foi realizada pela primeira vez no sistema público de Campina Grande”, explicou o ginecologista Rodrigo Dantas.

Os benefícios de se realizar uma cirurgia por meio dessa técnica são muitos: menos dor pós-operatória, menor tempo de internação hospitalar, retorno mais rápido às atividades habituais, menor percentual de complicações cirúrgicas e melhor estética por ausência de grandes cicatrizes abdominais.

Sobre a Ebserh – Desde dezembro de 2015, o HUAC-UFCG é filiado à Rede Hospitalar Ebserh. A Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh), vinculada ao Ministério da Educação (MEC), foi criada em 2011 e, atualmente, administra 40 hospitais universitários federais, apoiando e impulsionando suas atividades por meio de uma gestão de excelência.

Como hospitais vinculados a universidades federais, essas unidades têm características específicas: atendem pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS), e, principalmente, contribuem para a formação de profissionais de saúde e o desenvolvimento de pesquisas. Devido a essa natureza educacional, os hospitais universitários são campos de formação de profissionais de saúde.

Com isso, a Rede Hospitalar Ebserh atua de forma complementar ao SUS, não sendo responsável pela totalidade dos atendimentos de saúde do país.