Mundo

Premiê fala em 'desastre' | Festival religioso em Israel tem confusão e mais de 40 morrem pisoteados, diz jornal

Premiê fala em 'desastre' | Festival religioso em Israel tem confusão e mais de 40 morrem pisoteados, diz jornal

Mais de 40 pessoas morreram após serem pisoteadas durante um festival religioso na cidade de Meron, em Israel, na madrugada de sexta (horário local, noite de quinta no Brasil), de acordo com o jornal local The Times of Israel, que teria confirmado as informações com a polícia. Ainda não foi divulgado um número oficial. Além dos mortos, o serviço de ambulância Magen David Adom, equivalente a Cruz Vermelha, estima que 103 pessoas ficaram feridas.

O primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, classificou o ocorrido como "um desastre" e se solidarizou com as vítimas.

"Estamos todos orando pelo bem-estar das vítimas", afirmou o premiê.

Dezenas de milhares de pessoas participaram da peregrinação anual no norte do país, que celebra o feriado judaico de Lag Baomer, em torno do túmulo do Rabino Shimon Bar Yojai, um talmudista do século II que é creditado por escrever o Zohar, obra central do misticismo judaico. Esse foi o maior evento público em Israel desde o início da pandemia

As autoridades haviam permitido a presença de 10 mil pessoas no complexo, mas, segundo os organizadores, mais de 650 ônibus foram fretados em todo o país, estimando-se pelo menos 30 mil pessoas. A imprensa local acredita num fluxo de 100 mil pessoas. O tumulto teria ocorrido após a meia-noite, causando pânico e ligações para equipes de emergência que mobilizaram helicópteros para resgatar os feridos.

Imagens que circulam nas redes sociais mostram os momentos depois do acidente

PUBLICIDADE