Mundo

Pai torce pescoço e fica paralítico após brincar de cambalhotas com filhos

Pai torce pescoço e fica paralítico após brincar de cambalhotas com filhos

Um churrasco em família não acabou bem para Wayne Duckworth um chefe de cozinha em Stockport, na Inglaterra. Ele estava jogando cartas, quando decidiu brincar com os filhos na sala. A ideia de virar cambalhotas com as crianças não acabou bem para o pai de 38 anos, que torceu o pescoço torceu no giro, e sem conseguir se mexer “de jeito nenhum” foi levado às pressas para um hospital.

Depois de mais de nove horas em uma cirurgia de emergência, Wayne recebeu a notícia dos médicos: a medula espinhal foi danificada e ele perdeu os movimentos do peito para baixo.

Ele relatou o acidente doméstico, que aconteceu em junho, ontem ao jornal The Sun: “Estávamos conversando sobre como sabíamos virar cambalhotas perfeitas, então, sendo o palhaço que sou, eu fiz uma no tapete da sala.”

Wayne começou a acrobacia de pé, sobre a lareira com cerca de 7 centímetros. Quando ele se projetou para rolar, torceu o pescoço e na hora de se levantar percebeu que os braços não estavam funcionando direito e que ele “não conseguia se mexer de jeito nenhum”.

Após a lesão, o pai brincalhão respirou por ajuda de aparelhos e passou três semanas na UTI do hospital local Salford Royal. Assim que seu quadro de saúde evoluiu, Wayne foi levado para o Centro Regional de Lesões Espinhais, para iniciar sua reabilitação.

Jennifer Duckworth, irmã de Wayne, abriu uma vaquinha online no site ‘GoFundMe” para ajudar o irmão na compra de equipamentos que o permitam a “viver a melhor vida que ele puder”.

Na página online, Jennifer elogiou a maneira com que Wayne lidou com a lesão. “Ele conseguiu permanecer tão postivo, forte e determinado e ainda tem um senso de humor, embora tenha que lidar com a lesão que mudou sua vida.”

O pedido de ajuda na internet deu certo. O objetivo de arrecadar mil libras para a compra dos equipamentos foi ultrapassado, e família já conseguiu 2522 mil libras, cerca de R$ 18.500. Wayne, com a ajuda das doações, agora se locomove usando uma cadeira de rodas elétrica.