Mundo

Na Califórnia | Neta arrecada R$ 181 mil para sem-teto que achou carteira da avó

Na Califórnia | Neta arrecada R$ 181 mil para sem-teto que achou carteira da avó

Evelyn Topper, de 80 anos, ficou atordoada mês passado quando perdeu sua carteira em uma cafeteria em San Rafael, na Califórnia, Estados Unidos. Mas um morador de rua encontrou o objeto e o devolveu à dona. Como contribuição ao ato solidário, a neta dela arrecadou cerca de US$ 33 mil (R$ 181 mil) para ajudar o homem, que vivia dentro de um carro.

Tudo começou quando Evelyn foi à cafeteria, onde tomou duas bebidas e acabou esquecendo a carteira. Dentro dela, havia vários cartões de crédito e débito. "[A carteira] tinha tudo que possuo. Fiquei desesperada", relatou a senhora, ao canal televisivo NBC.

Todavia, Evelyn deu grande sorte quando o sem-teto Sean Curry, de 57 anos, vasculhou uma lixeira próxima e encontrou por acaso o pertence. Com as informações de contato presentes na carteira, ele ligou para a mulher, que ficou muito agradecida em tê-la de volta.

Sean não tinha mais onde morar fazia cinco anos e os abrigos estavam lotados na pandemia da covid-19. Apesar de tudo, ele escolheu tomar a iniciativa de ajudar o próximo. "Prefiro sentir frio e fome e saber que fiz a coisa certa ", contou ele, de acordo com o The Washington Post.

Evelyn Topper - Reprodução/NBC - Reprodução/NBC
Evelyn Topper, de 80 anos, perdeu a carteira em uma cafeteria em San Rafael, Califórnia (EUA)
Imagem: Reprodução/NBC

Como compensação por devolver o objeto perdido, Evelyn deu um valor em dinheiro para ajudar Sean. Já a neta dela, Mikayla Gounard, de 12 anos, pediu que como presente de aniversário que seus amigos fizessem doações para o sem-teto.

Durante a festa da jovem, foram arrecadados um total de US $ 475 (R$ 2,6 mil). Mais tarde, ainda mais dinheiro foi agregado quando a mãe dela, Vanessa, abriu uma conta online de financiamento coletivo.

A ideia foi ajudar Sean a adquirir uma moradia e também construir casas para pessoas de baixa renda na área. "Fiquei muito emocionado", disse ele, ao Post. "Foi revigorante saber que pessoas da idade dela [de Mikayla] querem ajudar".