Mundo

Magnitude 6,6 | Terremoto grave atinge ilha grega e costa da Turquia e deixa mortos

Magnitude 6,6 | Terremoto grave atinge ilha grega e costa da Turquia e deixa mortos

Ao menos 14 pessoas morreram e outras 419 ficaram feridas após um terremoto de 6.6 na escala Richter que atingiu a costa da Turquia e a ilha Samos, na Grécia, na manhã de hoje. A cidade turca de Izmir foi a mais afetada.

Segundo a AFAD (Autoridade de Combate a Desastres e Emergências) da Turquia, o terremoto ocorreu às 14h51 locais (8h51 de Brasília), e após o primeiro abalo, seguiram-se 107 tremores secundários, sendo que 21 atingiram mais de 4 graus na escala Richter. O epicentro foi no mar Egeu, a uma profundidade de 16,54 km, e a uma distância de 17,26 km da costa turca.

Outras ilhas e cidades próximas também sentiram os tremores, mas de maneira mais branda, entre elas a capital grega, Atenas, e a maior cidade da Turquia, Istambul.

Mapa terremoto -  -

O terremoto provocou um minitsunami, que atingiu a costa de Samos. A Defesa Civil grega advertiu a população da ilha para permanecer "ao ar livre e longe dos prédios", assim como a "se afastar da costa" da ilha.

Por enquanto, 12 mortes foram confirmadas pela AFAD em Izmir, uma delas, por afogamento. Ao todo 112 equipes de emergência estão no local, com ambulâncias, caminhões, helicópteros e até aviões militares de carga, que transportam itens de necessidades básicas.

Na ilha grega, a TV estatal ERT confirmou a morte de dois adolescentes, de 15 e 17 anos. Eles morreram enquanto atravessavam a rua e um muro desabou em cima dos dois.

Queda de prédios

Autoridades turcas informaram que ao menos 17 prédios caíram na província de Izmir. Imagens em redes sociais (veja abaixo) mostram diversos edifícios destruídos e também a água invadindo ruas. Existe preocupação com um possível tsunami.

De acordo com informações do Ministério de Transporte e Infraestrutura, aconteceram 115 cortes de energia por causa dos desabamentos.

O presidente da Turquia, Recep Erdogan, se manifestou no Twitter sobre o terremoto e prometeu ajuda a todos os cidadãos.

"Tomamos medidas para iniciar o trabalho necessário na região com todas as nossas instituições". Depois a AFAD informou que o governo repassou 8 milhões de liras turcas (cerca de R$ 5,5 milhões) para auxílios emergenciais na região.

Já Süleyman Soylu, ministro do Interior da Turquia, pediu no Twitter para que a população de Izmir não use seus carros, deixando assim o caminho livre para o resgate das vítimas.

"Nosso pedido para nossos cidadãos em Izmir, por favor, não use seus veículos. Tendas, cobertores, cozinhas móveis, hospitais, temos todo o tipo de instalações. As nossas equipas estão começando o seu trabalho. Tudo o que precisamos é um caminho. Por favor, deixe o caminho livre para nossas equipes de resgate", escreveu Soylu.

Entre as autoridades gregas, o primeiro-ministro Kyriákos Mitsotákis publicou na rede social que ligou para Erdogan e minizou as diferenças entre os dois países neste momento.

"Acabei de ligar para o presidente Erdogan para apresentar minhas condolências pela trágica perda de vidas no terremoto que atingiu nossos dois países. Quaisquer que sejam nossas diferenças, estes são momentos em que nosso povo precisa permanecer unido", escreveu Mitsotákis, também lamentando as mortes dos adolescentes em Samos.

"Palavras são muito pobres para descrever como alguém se sente a respeito da perda de filhos. Nestes tempos difíceis, nossos pensamentos estão com suas famílias e com a dor insuportável que experimentam em Samos. Expresso minhas mais sinceras condolências", afirmou o primeiro-ministro grego.

Região de terremotos

Em 1999, um terremoto nessa mesma região matou cerca de 17 mil pessoas. Em janeiro deste ano, tremores na Turquia, em Sivrice, mataram 30 pessoas e deixaram 1.600 feridos. Grécia e Turquia estão situadas sobre falhas geológicas e, portanto, os terremotos são frequentes, sobretudo no mar.

Izmir é a terceira maior cidade turca, atrás apenas de Istambul e da capital, Ancara, com mais de 3 milhões de habitantes. A cerca de 60 km da cidade se encontram as ruínas de Éfeso, consideradas patrimônio da humanidade pela Unesco.

Brasileiros em segurança

Segundo o Cônsul Geral do Brasil na Turquia, Paulo Roberto França, os cerca de 50 brasileiros que moram na região de Izmir não foram diretamente afetados pelo terremoto.

"Temos uma comunidade de em torno de 50 brasileiros na região de Izmir. Logo depois do terremoto, nós do consulado ligamos para vários desses nossos cidadãos para ver como estavam. Graças a Deus, não temos informação de nenhum óbito, de nenhuma pessoa ferida, todos estão sãos e salvos", relatou França em entrevista à GloboNews.

"[Estão] muito chocados, porque aparentemente o terremoto foi muito forte, e tristes, porque há falecimentos. Parte da cidade foi destruída, mas a comunidade brasileira está bem", completou o cônsul.

Istambul não foi afetada

O cônsul brasileiro falava direto de Instambul, maior cidade da Turquia. França relatou que o terremoto praticamente não teve efeitos onde mora, com apenas pessoas que moram em prédios mais altos sentindo o abalo sísmico.

"Estamos seguindo de perto a situação, mas posso informar que Istambul está tranquila. Não sentimos em geral os efeitos desse terremoto, apenas as pessoas que moram em edifícios mais altos sentiram um pouco a oscilação. Mas segundo as autoridades locais não houve estragos e sobretudo não houve vítimas, o que é uma notícia muito positiva", afirmou França.