Mundo

Família de médico preso no Egito divulga pedido de desculpas

Família de médico preso no Egito divulga pedido de desculpas

A família do médico brasileiro Victor Sorrentino, detido no último fim de semana no Egito por acusações de assédio sexual contra uma vendedora em Gizé, nos arredores do Cairo, publicou nesta quinta-feira (3) uma carta em inglês e árabe, na qual pedem desculpas pelas atitudes dele.

O texto foi assinado por vários membros da família, incluindo a esposa de Sorrentino, e foi publicado no perfil da irmã dele, Patrícia, no Instagram.

"Nosso sincero pedido de desculpas à vítima, família da vítima e a todos que possam ter se sentido ofendidos!", diz o texto do post.

"A respeito dos recentes acontecimentos no caso do médico brasileiro Victor Sorrentino no Egito, e aos danos morais e materiais causados a todos que foram afetados. Nós, a família de Victor Sorrentino, e em nome de Victor apresentamos um pedido oficial de desculpas à vítima, sua família e a todos os atingidos pelo caso. A todo querido povo egípcio e a todos os funcionários do Estado do Egito. Nós estendemos nossos sentimentos mais sinceros e nos comprometemos a reparar todos os danos materiais e morais. Pedimos que aceitem nossas desculpas", escreveram os familiares do brasileiro.

Sorrentino publicou em suas redes sociais um vídeo em que falava para a vendedora, durante uma conversa: “elas gostam é do bem duro. Comprido também fica legal, né?”. A fala do brasileiro foi feita enquanto o brasileiro recebia detalhes sobre um papiro que estava à venda na loja. A atendente, que não fala português, apenas sorriu e seguiu com o atendimento normalmente. Ele depois apagou o vídeo e publicou um pedido de desculpas, mas foi detido assim mesmo.