Mundo

Durante atendimento | Paramédica dos EUA recebe mordida de quase 1 minuto no rosto

Durante atendimento | Paramédica dos EUA recebe mordida de quase 1 minuto no rosto

Uma paramédica do Corpo de Bombeiros de Nova York recebeu uma mordida de uma adolescente enquanto prestava atendimento, na sexta-feira (5). A ferida foi aberta após quase um minuto de ataque.

Jenna Piscitello, de 28 anos, fazia parte da equipe que foi chamada para prestar socorro a uma jovem que estava descontrolada, de acordo com relatos dela e da polícia ao New York Post. O ataque aconteceu por volta das 2h, no bairro do Brooklyn, quando a uma garota de 17 anos tentava fugir de casa.

Ao chegarem ao local da ocorrência, a jovem passou a demonstrar comportamento agressivo quando tentaram colocá-la na maca. "Ela apenas envolveu as pernas em volta do meu torso, os braços em volta do meu pescoço e deu uma boa mordida no meu rosto. Ela me mordeu por quase um minuto. Pareceu uma eternidade", descreveu Piscitello.

A socorrista diz que sentiu a jovem "puxar o seu rosto", e descreveu a sensação dos dentes em sua face: "Eu literalmente senti os dentes dela entrando em minha carne. Como uma serra acabando de me cortar", contou.

A paramédica recebeu quatro pontos no hospital e deve ir a um cirurgião plástico nos próximos dias. Enquanto isso, a jovem foi acusada de agressão em segundo grau e agressão com intenção de causar ferimentos físicos, de acordo com a polícia e o site.

A vítima se tornou paramédica em 2019, e não pretende largar a profissão tão cedo, apesar do ocorrido. "Tenho uma paixão muito profunda pelo que faço. Este incidente nunca vai impedir que eu continue a ser tão compassiva quanto sou com as pessoas", acrescentou.

Companheiros de trabalho iniciaram uma campanha de arrecadação virtual para custear o tratamento estético. Com a meta de de US$ 25 mil (cerca de R$ 143 mil), a campanha somou US$ 15 mil (cerca de R$ 85 mil) até agora. "Definitivamente vou levar meu tempo para me recuperar. Emocionalmente, acho que vou ficar bem depois de algumas semanas", completou a paramédica.