Mundo

Buenos Aires alerta para alta ocupação dos leitos de UTI

Buenos Aires alerta para alta ocupação dos leitos de UTI

O governo da cidade de Buenos Aires alertou nesta terça-feira (20) para a alta ocupação dos leitos de Unidades Terapia Intensiva devido à segunda onda da pandemia do covid-19, que atinge principalmente o setor privado, onde leitos ocupados representam, em média, 82% da capacidade.

"A média no setor privado é de 82%, mas é claro que existem UTIs que estão acima de 95%, e a capacidade média de leitos no setor público é de 65%. Mas é claro que, para atingirmos a plena capacidade, temos que continuar fazendo a redistribuição", disse o secretário da Saúde de Buenos Aires, Fernán Quirós, em entrevista coletiva.

Ele apontou que a cooperação entre o governo da capital e centros privados, aos quais doaram respiradores para atender à elevada procura por leitos.

Veja também
  • Quem é Armin Laschet, o herdeiro de Angela Merkel na Alemanha
    Internacional

    Quem é Armin Laschet, o herdeiro de Angela Merkel na Alemanha

  • Muçulmano absolvido de crime por ter fumado maconha revolta França
    Internacional

    Muçulmano absolvido de crime por ter fumado maconha revolta França

  • Presidente do México recebe vacina de Oxford em público
    Internacional

    Presidente do México recebe vacina de Oxford em público

Sobre a situação no país, onde nas últimas semanas houve um aumento significativo nos casos fazendo o governo adotar restrições à mobilidade, destacou que o importante é "intensificar a campanha de vacinação e fazer um esforço de duas ou três semanas".

Quirós não concordou com algumas das medidas adotadas pelo governo, especialmente a decisão de suspender as aulas presenciais por duas semanas, o que gerou tensões entre o partido do presidente Alberto Fernández e o governo de Buenos Aires, e que chegou a ir aos tribunais, com a Justiça determinando que as escolas da capital abertas.

"Suspender a presença gera enormes prejuízos e o benefício não é claro. O caminho não é impedir a aula presencial, mas aumentar a segurança e o cuidado das crianças", concluiu.

  • leitos
  • setor privado
  • governo
  • buenos aires
  • ocupação
  • onda
  • pandemia
  • cidade
  • capacidade
  • coronavirus

Compartilhe: