Geral

Victor Machado | Sente culpa ao comer? Saiba como trocar a culpa pelo prazer

Victor Machado | Sente culpa ao comer? Saiba como trocar a culpa pelo prazer

Com a crescente tentativa de dietas altamente restritivas para emagrecer, o ato de comer de forma exagerada ou simplesmente sair da dieta, se tornou motivo de culpa e julgamento.

É muito comum as dicas para que as pessoas se mantenham firmes, tenham força de vontade, além de terem que aceitar o simples conceito de que comer bem ajuda a manter a saciedade e minimiza as chances de alguém sair da dieta.

Mas a verdade é que quando falamos em lidar com os exageros e as escapulidas das dietas, nem tudo é tão simples assim, pois cada um tem uma história de vida diferente em relação ao sentimento de frustração por não ter se controlado.

Antes de tudo é importante entender as diferenças das fomes e como funcionam os exageros alimentares. Veja:

Fome Física: se trata daquela fome que sentimos com sinais físicos como o estômago roncando ou até mesmo uma dor de cabeça e uma queda de energia. Nesse caso, não existe nenhuma especificidade de alimentos e qualquer tipo de comida pode saciar a pessoa.

Fome Emocional: nessa não existe sinal físico, mas sim a vontade de comer algo específico como forma de resolver alguma emoção negativa: frustração, medo, ansiedade, tristeza. Nem sempre se resume a momentos ruins, pois também pode haver a vontade de comer algo para comemorar alguma data especial ou uma conquista.

Outro conceito importante para entender são os exageros alimentares e o comer transtornado

Diferente da compulsão alimentar, que se trata de algo patológico, o exagero pode ser um comer transtornado: que ocorre normalmente com alimentos mais calóricos e palatáveis com a tentativa de aliviar algum sentimento ruim ou como resolução de algum problema.

Um exemplo seria todo dia comer uma barra de chocolate inteira ao chegar em casa depois de um dia cansativo. Repare que nesse caso podem existir muitos fatores: o trabalho ser muito cansativo, as relações entre os colegas não serem as melhores, também existem aqueles casos em que a pessoa tem um chefe abusivo e não sabe como lidar com isso, chega em casa e exagera no chocolate.

Perceba que nesse caso, não dá para resumir a situação da pessoa em fazer dieta restritiva ou ser forte, mas ela tem um problema que precisa lidar e depois a relação com a comida tende a melhorar.

Exagero alimentar comum é aquele que você come uma quantidade maior do que a sua fome em alguma ocasião especial com a família, uma festa de aniversário ou outro momento importante.

Repare que os exageros alimentares são algo comum e faz parte da história da humanidade. Acontece que hoje em dia os exageros se tornaram mais abundantes e mais frequentes e, muitas vezes, eles acontecem sem razão alguma ou simplesmente pelo hábito de exagerar.

Fisiologicamente, o corpo sabe lidar com um exagero ou outro e isso não engorda ninguém. O prejuízo a saúde acontece com a alta frequência desses exageros.

Esses conceitos servem para entender que não tem nada de errado em comer, mas quando você entende como seu corpo funciona fica muito mais fácil lidar com a comida e com a culpa.

Comer de vez em quando algo mais calórico ou fora do programado não vai trazer prejuízo nenhum a sua saúde. O importante é entender no momento se o exagero fez sentido. Você comeu porque estava na sua frente, porque não está feliz em um relacionamento ou porque estava comemorando algo importante?

Quando você não resistiu e resolveu comer um chocolate após o almoço, aquilo era fome física ou era o seu corpo pedindo por estar de TPM?

Entender como o seu corpo funciona te ajuda a fazer as próprias escolhas e, dessa forma, mesmo que aconteça algum exagero ou alguma refeição fora do programado, você sabe o sentiu naquele momento e compreende que não precisa sentir culpa ou remorso.

Caso esteja começando agora a conhecer os sinais do seu corpo e tenha um perfil de não aceitar erros, quando comer se concentre em sentir o sabor e apreciar aquele momento.

Ao invés de perder seu tempo sentindo culpa, se concentre em entender as razões que te fizeram comer, e assim, em outro momento, saber lidar melhor com a situação. Aos poucos você aprende a apreciar todos os momentos com a comida sem sentir culpa.