Geral

Retorno às redes sociais | Queiroz volta a usar celular e recorre a apps que destroem textos

Retorno às redes sociais | Queiroz volta a usar celular e recorre a apps que destroem textos

Após obter o fim da prisão domiciliar, o policial militar Fabrício Queiroz, ex-assessor do senador (Republicanos-RJ), voltou às redes sociais e retomou a comunicação por meio de aplicativos de mensagem no celular. Mas, agora, Queiroz está priorizando apps que permitem a destruição automática de mensagens como o "Signal" e o "Telegram".

Queiroz e sua mulher, Márcia Aguiar, conseguiram no STJ (Superior Tribunal de Justiça), em março, o fim da prisão domiciliar que vigorava desde julho de 2020. O ex-assessor de Flávio foi apontado pelo MP-RJ (Ministério Público do Rio de Janeiro) como operador de um esquema de devolução de salário que existia no gabinete do filho mais velho do presidente . Ele foi preso em Atibaia, na casa de Frederick Wassef, um dos advogados do senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ) em junho do ano passado. Márcia chegou a ficar foragida por mais de um mês após a prisão ser decretada.

O ex-assessor de Flávio Bolsonaro baixou os novos aplicativos no último sábado (10). A opção por aplicativos com possibilidade de destruição de mensagens automaticamente ocorre também depois que a família de Queiroz foi alvo de busca e apreensão em dezembro de 2019. Na ocasião, foram apreendidos celulares de Márcia e de Nathália Queiroz, filha mais velha do assessor.

A partir da apreensão foram obtidas mensagens trocadas entre a família. Algumas delas chegaram a fazer parte das provas apresentadas para o pedido de prisão de Queiroz e Márcia. Nas mensagens, Márcia reclamava que Queiroz seguia fazendo indicações políticas para cargos e chegou a compará-lo a um bandido "que tá preso dando ordens aqui fora, resolvendo tudo". Os dados dos celulares também mostraram o local onde ele se escondia e por onde passou no período.

No entanto, como o STJ também decidiu anular as quebras de sigilo que tinham sido autorizadas em primeira instância para a investigação do caso, as provas obtidas a partir dos celulares ainda terão sua validade discutida. O MP-RJ recorreu e aguarda decisão do () Supremo Tribunal Federal. Além disso, as principais provas apresentadas na denúncia contra Queiroz e Flávio eram os dados financeiros obtidos pela quebra de sigilo. O casal agora responde a denúncia apresentada pelo MP ao Órgão Especial do Tribunal de Justiça do Rio em liberdade.

Na semana passada, a coluna mostrou que o casal fez um culto de "ação de graças" na noite de quinta-feira (8) na igreja Nova Vida de Curicica, zona oeste do Rio. O próprio Queiroz compartilhou imagens chamando para celebrar a "grande vitória do casal".