Geral

Paulino quer superar arestas e aposta no apoio do MDB a Azevêdo

Paulino quer superar arestas e aposta no apoio do MDB a Azevêdo

O secretário de Governo Roberto Paulino, vice-presidente do diretório regional do MDB na Paraíba, salientou, hoje, que não acredita que venha a prosperar qualquer movimento dentro do partido para lançar a candidatura do senador Veneziano Vital do Rêgo, presidente da legenda, ao governo do Estado nas eleições de 2022 numa suposta aliança com o ex-governador Cássio Cunha Lima (PSDB), que poderia figurar na chapa disputando vaga ao Senado. Roberto Paulino admitiu que há arestas entre líderes do MDB que precisam ser superadas e dispõe-se, como membro-dirigente do partido e como auxiliar do governador João Azevêdo (Cidadania) a operar para resolver pendências. Mas foi enfático em dizer que aposta no apoio formal do MDB à candidatura do governador João Azevêdo à reeleição.

A polêmica sobre suposta reviravolta nos meios políticos paraibanos eclodiu após declarações do vereador Mikika Leitão, do MDB de João Pessoa, destacando que Veneziano tem todas as credenciais para ser o candidato legítimo da sigla ao Palácio da Redenção, reconduzindo o partido à esfera principal de poder no Estado. As declarações foram feitas após reuniões que tiveram a participação do próprio Veneziano e do ex-governador Roberto Paulino, que recentemente assumiu a Secretaria de Governo estadual. Na opinião de Paulino, “embora respeitável”, a manifestação de Mikika Leitão foi isolada e não expressa sentimento majoritário dominante no MDB, lembrando que o próprio Veneziano vinha declarando compromisso com a reeleição de João Azevêdo e que a esposa do senador, doutora Ana Cláudia Vital do Rêgo, ocupa uma secretaria de Estado na gestão atual. “Eventuais problemas ou resistências que porventura estejam existindo já agora serão equacionadas no devido tempo”, frisou Roberto Paulino, apontando o diálogo como grande alternativa para dirimir mal-entendidos e insatisfações.

O ex-governador e atual secretário de Governo, que foi candidato a prefeito de Guarabira em 2020 e perdeu, insinuou a possibilidade de que por trás de especulações sobre uma suposta aproximação entre Veneziano e o grupo Cunha Lima esteja a influência do ex-senador Cássio, que, a seu ver, estaria em busca de holofotes por vir perdendo visibilidade no noticiário devido à projeção do ex-prefeito Romero Rodrigues, que se lançou pré-candidato ao governo pelo PSD. “Não tenho dúvidas de que Cássio está plantando essas especulações, mas dificilmente elas surtirão efeito, porque não contam com a concordância do ex-prefeito Romero Rodrigues, já lançado postulante ao governo na oposição”, raciocinou. Além do mais, Roberto Paulino citou incompatibilidades ainda latentes entre Romero e o grupo de Veneziano, que chegaram a se enfrentar em eleições municipais em Campina Grande, o que foi confirmado, em termos, por Romero, estranhando a boataria dos últimos dias. Com exceção de Cássio Cunha Lima e Veneziano Vital do Rêgo, outros políticos que estão envolvidos na ciranda de especulações fizeram declarações a respeito ao programa “Correio Debate”, da 98 FM, do Sistema Correio de Comunicação.

– Não tenho dúvidas de que, na ocasião ideal, no momento oportuno, os entendimentos seguirão seu curso próprio, em busca de definições que guardem identidade – opinou o ex-governador Roberto Paulino, que já havia dito, na semana passada, estar pronto a cumprir “missões” delegadas pelo governador João Azevêdo no campo das articulações políticas-eleitorais para o ano de 2022.