Geral

Pandemia no país | Brasil registra 728 mortes em 24 horas e total de óbitos ultrapassa 144 mil

Pandemia no país | Brasil registra 728 mortes em 24 horas e total de óbitos ultrapassa 144 mil

O país registrou, nas últimas 24 horas, 728 novas mortes de covid-19. Com isso, o total de óbitos pelo coronavírus chegou a 144.680. As informações foram divulgadas ao fim da tarde de hoje pelo Ministério da Saúde.

A quantidade de novos casos confirmados desde ontem é de 36.157; desde o início da pandemia, o Brasil contabiliza 4.847.092 diagnósticos.

O governo federal considera 4.180.376 pacientes recuperados e afirma que há 489.640 casos em acompanhamento.

Anvisa inicia 1ª análise para registro de vacina de Oxford

A Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) anunciou hoje o início das primeiras análises com vistas ao registro da potencial vacina contra covid-19 desenvolvida em parceria entre a Universidade de Oxford, no Reino Unido, e a farmacêutica britânica AstraZeneca. A análise será feita com base em dados não clínicos da vacina e ainda não é o suficiente para atestar a eficácia e segurança do imunizante.

O Ministério da Saúde, por meio da Fundação Oswaldo Cruz, fez um acordo para receber doses e para posterior produção local da vacina Oxford/AstraZeneca, caso se prove eficaz contra o novo coronavírus.

Medidas contra covid-19 nas eleições

O plenário do TSE (Tribunal Superior Eleitoral) aprovou hoje a inclusão nas normas eleitorais das medidas previstas no Plano de Segurança Sanitária para as eleições municipais de novembro.

Com a formalidade, passam a ser obrigatórias as medidas de prevenção ao contágio pelo novo coronavírus durante a votação, conforme previstas no plano de segurança, que já havia sido anunciado no início de setembro

Veículos se unem pela informação

Em resposta à decisão do governo de restringir o acesso a dados sobre a pandemia de covid-19, os veículos de comunicação UOL, O Estado de S. Paulo, Folha de S.Paulo, O Globo, G1 e Extra formaram um consórcio para trabalhar de forma colaborativa para buscar as informações necessárias diretamente nas secretarias estaduais de Saúde das 27 unidades da Federação.

O governo federal, por meio do Ministério da Saúde, deveria ser a fonte natural desses números, mas atitudes recentes de autoridades e do próprio presidente colocam em dúvida a disponibilidade dos dados e sua precisão.

*Com Reuters e da Agência Brasil