Geral

Pandemia no Estado | SP anuncia volta à fase vermelha, e medida vale até 18/4; veja o que muda

Pandemia no Estado | SP anuncia volta à fase vermelha, e medida vale até 18/4; veja o que muda

O estado de São Paulo voltará para a fase vermelha do Plano SP a partir de segunda-feira (12). A medida irá durar ao menos até o dia 18 de abril, conforme o governo paulista anunciou hoje. A informação foi antecipada pelo UOL.

Atualmente, o estado encontra-se na fase emergencial —com mais restrições—, que será encerrada no próximo domingo (11).

A dúvida sobre a mudança nas fases no Palácio dos Bandeirantes era mais voltada à comunicação do que à flexibilização. A avaliação do governo paulista e do Centro de Contingência é que as restrições têm trazido o resultado esperado, com desaceleração dos indicadores, mas ainda não é momento para uma abertura maior.

Apesar da mudança de fase, ficam mantidos:

Na fase vermelha, haverá algumas mudanças, como:

O secretário da Educação, Rossieli Soares, disse que as aulas na rede estadual terão retorno gradual a partir da semana que vem. "[Os dias] 12 e 13 de abril devem ser aproveitados para organizar [o retorno] e conversa com as famílias", disse Soares.

A abertura das redes municipais e das escolas particulares depende ainda de decisões de governos locais. Após a coletiva, a Prefeitura de São Paulo afirmou que as aulas presenciais estão liberadas a partir do dia 12.

Números altos, mas em queda

As mortes por covid-19 no estado de São Paulo já passaram de 80 mil. O número de casos está próximo de 2,6 milhões, de acordo com a última atualização.

Até ontem, a ocupação de leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva) no estado era de 88,3%. Apesar de ainda estar em um patamar alto, o número tem caído nos últimos dias.

Coordenador do Centro de Contingência, o médico Paulo Menezes diz que tem uma projeção que no final do mês o estado tenha indicadores para que algumas regiões avancem para a fase laranja. "A partir do que nós estamos observando", disse.

Para João Gabbardo, coordenador-executivo do centro, a mudança de fase não gera riscos de retrocessos no combate à pandemia, com perdas em relação aos avanços obtidos com o período emergencial. O secretário estadual da Saúde, Jean Gorinchteyn, disse que esta "é uma fase vermelha mais rígida."

Vice-governador de São Paulo, Rodrigo Garcia (DEM) disse que "pessoas mortas não consomem" ao defender as medidas restritivas. "Não estamos entendendo isso como relaxamento", comentou sobre a mudança da fase emergencial para a vermelha. O governador (PSDB) não participou do pronunciamento.