Geral

Já deixou Campinas | Avião que buscaria vacinas na Índia leva oxigênio a Manaus

Já deixou Campinas | Avião que buscaria vacinas na Índia leva oxigênio a Manaus

O avião que estava no Recife e iria à Índia buscar 2 milhões de doses da vacina da AstraZeneca/Oxford retornou a Campinas (SP) na manhã de hoje. Com a indefinição de questões diplomáticas entre Brasil e Índia para importação do imunizante, a aeronave fou usada para levar cilindros de oxigênio para Manaus (AM), que vive um colapso no sistema de saúde.

O Airbus A330neo da Azul Linhas Aéreas pousou às 6h43 no Aeroporto Internacional de Viracopos, informou ao UOL a assessoria da companhia. A decolagem para a capital amazonense com 40 cilindros de oxigênio medicinal ocorreu por volta das 14h, com chegada prevista para 17h50 (horário de Brasília).

Também foram enviados 60 concentradores de oxigênio e mais 700 kg de máscaras. Outros 40 cilindros serão enviados para Manaus em outro voo da companhia, ainda sem horário definido.

Em nota, a Azul informou ontem que, a pedido do Ministério da Saúde, a aeronave ajudará a abastecer os hospitais de Manaus.

Voo adiado

A expectativa era de que o voo partisse do Recife ontem, às 23h, com destino a Mumbai. Mas declaração do porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da Índia, Anurag Srivastava, na quinta-feira (14), deu a entender que a previsão do voo estava muito adiantada. O porta-voz disse que era "muito cedo" para confirmar a data de envio das doses compradas pelo Brasil.

"Como você deve saber o processo de vacinação está apenas começando na Índia, é muito cedo para dar uma resposta específica sobre o fornecimento a outros países, sobre como ainda estamos avaliando a produção que devemos usar e a entrega. Isso deve demorar algum tempo", declarou Anurag Srivastava.

Ciente do cenário, o presidente (sem partido) admitiu, no final da tarde de ontem em entrevista ao apresentador a José Luiz Datena, no Brasil Urgente, que a operação deve atrasar "dois ou três dias, no máximo".

O fracasso das tratativas diplomáticas com a Índia — na sexta, o próprio ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, se empenhou para garantir a decolagem da aeronave — frustra o plano do governo federal de iniciar a vacinação no Brasil na quarta (20) ou quinta-feira (21), antes, assim, da data anunciada pelo governo de São Paulo para início da imunização no estado.

Pelo cronograma, o avião estaria de volta ao Brasil amanhã com o primeiro lote da vacina da AstraZeneca. E, na terça-feira (19), Bolsonaro anunciaria o início do plano de imunização contra covid-19 no Brasil.