Geral

Geraldo Medeiros diz que variante Ômicron ainda não é uma preocupação na PB e afirma que nada muda em relação ao uso de máscaras no estado

A covid – 19 continua sendo uma questão importante na rotina e no cotidiano dos paraibanos, e de ontem para cá, dois temas são uma constante nas rodas de conversa e nos grupos de whatsapp.

A aparição de uma nova variante preocupante no Sul da África , a Ômicron e a possível flexibilização do uso das máscaras no Estado.

Em entrevista realizada ao Polêmica Paraíba, o Secretário de Saúde do Estado, Geraldo Medeiros, afirma que em relação a nova variante, ainda não foram tomadas medidas, por não termos casos da nova cepa no Brasil.

“O Ministério da Saúde enviou uma nota, para todas as secretarias estaduais, comunicando sobre a aparição da nova variante, e a localização dos casos relatados,na Botswana, África do Sul, Hong Kong e hoje a notificação de uma pessoa infectada na Bélgica”, disse o secretário.

“Ela é no momento, considerada uma variante de monitoramento, por ainda não ter termos tido nenhum caso considerado suspeito no nosso país, e por esse motivo ainda não é uma preocupação na Paraíba, mas deixamos um alerta para os laboratórios, qualquer teste que apresente alguma alteração, o caso será encaminhado para a FioCruz”, concluiu.

Já quando foi para falar sobre a possível flexibilização das máscaras, o Secretário, afirma que não existem novidades em relação a esse tema no nosso Estado.

“O decreto atual, vigora até o dia 30 de novembro, só após o término do decreto, poderemos ter alguma nova determinação, mas neste momento, as coisas continuam como estão em relação as máscaras”, disse.

Questionado sobre a entrevista dada pelo Governador João Azevêdo realizada ontem em Cajazeiras, onde ele ventila a possibilidade da flexibilização do uso de máscaras no começo do ano que vem, o Secretário afirma ser uma hipótese, mas que não existe nada decidido.

“O Governador e todos nós que trabalhamos na Secretaria, admitimos que essa hipótese é uma possibilidade, causado pela diminuição de casos e pelo aumento da vacinação, masnada ainda foi discutido de forma mais concreta, por enquanto nada muda na Paraíba”, concluiu Geraldo.