Geral

Cantora gospel agredida em shopping já havia registrado 4 BOs contra marido

Cantora gospel agredida em shopping já havia registrado 4 BOs contra marido

A cantora gospel Quesia Freitas, filmada sendo agredida pelo marido em um shopping no Recreio dos Bandeirantes, zona oeste do Rio de Janeiro, já havia registrado pelo menos quatro boletins de ocorrência contra Bruno Feital. Segundo o irmão da vítima, o também cantor Juninho Black, em um dos episódios de agressão, Quesia chegou a ficar desacordada. O caso ocorreu em julho deste ano e fez com que a cantora fosse morar com a família em São Paulo.

“Ela chegou a me ligar pedindo socorro, a ligação caiu e não consegui mais falar nem com ela nem com ele [o marido]. Eles tiveram uma discussão e ele enforcou ela até ela desmaiar. Ela acordou e conseguiu sair correndo e pedir socorro. Fez um boletim de ocorrência, foi para São Paulo e deu entrada no divórcio, mas ele não quis colaborar. Ela já estava com medida protetiva”, contou o irmão.

Juninho disse que, durante o período do casamento da irmã com o ex-cunhado, Quesia ainda perdeu o emprego e também a guarda dos filhos de um relacionamento anterior.

“Os pais não queriam permitir que as crianças ficassem expostas”, disse ele.

De acordo com a família, o casal teria retomado o casamento em setembro, quando Quesia voltou para o Rio de Janeiro por motivos de trabalho.

“Ela saiu daqui dizendo que ele não era louco de fazer algo, mas um dia depois postaram uma foto no Instagram com um texto dizendo que retomaram o relacionamento. Nós tentamos falar com ela, mas não conseguimos, só por mensagem. Até que esse vídeo começou a repercutir e as pessoas começaram a questionar se era mesmo a minha irmã.”

Após a repercussão do caso, uma viatura policia foi enviada ao endereço do casal. Bruno fugiu e Quesia voltou para São Paulo. Juninho disse que a irmã passará uns dias em um retiro espiritual para se recuperar das agressões.

Afastamento da família

O irmão da vítima contou ainda que o ex-marido de Quesia afastou a cantora do convívio familiar durante o casamento, e que ele se passava por ela nas mensagens enviadas aos parentes, publicava nas redes sociais por ela e não permitia que falasse no telefone com ele e com os pais.

“Ele ia minando nossa relação. A gente ligava e ele dizia sempre que estava tudo bem, que ela estava ocupada e não podia falar”, conta Juninho, que suspeita que a irmã tenha sido coagida a retomar o relacionamento neste ano. “Acredito que ele tenha ido no local de trabalho dela e que ela tenha sido forçada a retomar essa relação.”

O irmão falou ainda sobre outro episódio de agressão envolvendo a cantora. Ocorreu no final do ano passado quando Bruno entrou no estacionamento de um shopping e tirou a mulher de dentro do carro pelo cabelo — ele queria que Quesia pedisse demissão do emprego. Na ocasião, ela trabalhava como assistente de uma dentista e ficou quase despida, pois estava de biquíni. Os dois iam para a praia quando começaram a se desentender.

“Ele dizia que mulher dele não trabalhava. Ela tentava sair desse relacionamento, mas ele não permitia. Inclusive, ele tinha arma dentro de casa”, contou.

Agressão no shopping

Há dois dias, Juninho Black, compartilhou nas redes sociais um vídeo que mostra mais um episódio de violência sofrido pela irmã. Bruno aparece segurando o braço da mulher em um shopping, no Recreio dos Bandeirantes. Nas imagens, é possível ver que a cantora tenta se desvencilhar do marido. Uma mulher pede que ele a solte. Pelo menos três homens aparecem para intervir na situação e cercam o agressor.

Nas redes sociais, Juninho Black relatou que a irmã era agredida havia um ano.

“Minha irmã vem sofrendo tortura psicológica, abuso emocional, agressões físicas e coação. Resolvi trazer a público o caso depois de perodar várias vezes. Ele a agrediu dessa vez em público (…). Família, não quero que minha irmã caia nas estatísticas de feminicídio”, disse ele no post.

Somente na página do cantor, o vídeo já registra mais de 158 mil visualizações. No relato feito no Instagram, Juninho Black marcou o cunhado, cuja conta na rede social está fechada e sem foto no perfil.

O caso ocorreu na última sexta-feira (20).

O Americas Shopping disse em nota que a equipe de segurança do estabelecimento foi acionada para atender denúncia de agressão de um homem contra sua companheira.

“Realizamos o atendimento à cliente e ao percebermos que o agressor coagia a vítima, detivemos o agressor com o apoio de uma cliente policial civil e acionamos a Polícia Militar, que conduziu os dois até a 42ª DP, onde o caso foi registrado. O Américas Shopping reforça que sua equipe é treinada para, percebendo casos como esse, atuar na proteção prioritária à vítima e acionamento da autoridade policial para a condução do caso”, informou o estabelecimento.