Geral

Após chicotear garoto, seguranças de mercado pegam 10 anos de prisão

Após chicotear garoto, seguranças de mercado pegam 10 anos de prisão

Em julho do ano passado, um adolescente negro foi amarrado e chicoteado por dois seguranças do supermercado Ricoy. A dupla responsável pelo crime foi condenada a 10 anos e 3 meses de prisão em decisão da 4ª Câmara de Direito Criminal do TJ-SP (Tribunal de Justiça de São Paulo).

Na decisão em primeiro grau, os seguranças haviam sido condenados por lesão corporal e absolvidos do crime de tortura. Porém, nesta terça-feira (24), os homens foram condenados pelos crimes de tortura, lesão corporal, cárcere privado e divulgação de cenas de nudez de vulnerável.

Unidade onde adolescente foi torturado

Segundo apurações, o jovem teria sido flagrado tentando roubar barras de chocolate. Ele foi levado pelos seguranças para um cômodo do supermercado, onde sua roupa foi despida, seu corpo foi amarrado e sua boca foi amordaçada. Na sequência, a sessão de tortura e chicoteamento começou a ser gravada. As imagens foram divulgadas na internet.

De acordo com a desembargadora Ivana David, relatora da apelação, depois que o menino foi detido, os seguranças deveriam apresentá-lo às autoridades. “Não há como negar a imposição de sofrimento moral e mental resultante da divulgação das imagens — estas a evidenciar por si sós o imenso abalo emocional causado à vítima, exposta nua e amordaçada, desbordando em muito do mero castigo e da humilhação já infligidos e resvalando no sadismo e na pedofilia, indicando-se desprezo pela condição humana”, diz Ivana.

Os dois seguranças negaram que cometeram os crimes.