Geral

4 dias de paralisação | Sikêra Jr. diz no ar que grevistas na RedeTV! podem ser demitidos

4 dias de paralisação | Sikêra Jr. diz no ar que grevistas na RedeTV! podem ser demitidos

Os donos da RedeTV! ganharam um apoio de peso no embate contra os radialistas em greve desde a madrugada de terça-feira (31). O apresentador Sikêra Jr. usou o seu programa na emissora para criticar o movimento e sugerir que os grevistas podem perder o emprego.

Enquanto os seus assistentes passavam pelo palco com placas de "CPF cancelado", uma "comemoração" que faz sempre quando anuncia a morte de algum acusado de crime, Sikêra disse: "Ei, você, que tá na porta da RedeTV!. Acaba com isso. Vamos trabalhar. Olha, tem muita gente desempregada querendo tomar o seu lugar. Não é hora pra isso". O comentário do apresentador foi feito durante o "Alerta Nacional" na noite de quinta-feira (02).

O comentário foi visto pelos grevistas como uma ameaça. "É um caso de assédio moral coletivo", protestou Hegberto Paschoa Balboni, diretor do sindicato dos radialistas e funcionário da RedeTV! "Todos nós sabemos que 'CPF cancelado' é uma gíria de miliciano para pessoa morta. O que ele quer dizer com isso?"

Sikêra se antecipou às críticas de que é fácil para ele, um dos maiores salários da emissora, se posicionar contra o movimento. "O pessoal fala que você ganha bem", disse, como que reproduzindo uma crítica. E respondeu: "Demorou 33 anos pra chegar".

O movimento grevista é por reajuste salarial. A RedeTV! ofereceu 3,8% de aumento para todas as categorias na tentativa de evitar a greve. No entanto, a proposta foi rejeitada, porque os profissionais alegam que a defasagem do salário é de 18,72% —o último dissídio aprovado foi para o triênio entre 2016 e 2018.

Sobre a greve, a RedeTV! divulgou o seguinte comunicado:

"A articulação promovida pelo Sindicato desencadeou em um fato inédito: uma greve sem grevistas, evidenciada pela praticamente nula adesão ao movimento, organizado por sindicalistas radicais.

A RedeTV! já informou que concederá uma antecipação do reajuste salarial de 3,8% aos radialistas.

Todas as operações da emissora estão mantidas e funcionando normalmente, assim como a programação que permanece sendo exibida sem qualquer alteração.

A RedeTV! seguirá desempenhando suas atividades juntamente com seus mais de mil colaboradores refutando tal movimento, que é representado por cerca de 30 grevistas."