Esportes

Sul-Americana | Crespo campeão? Seis motivos para ver a final Lanús x Defensa

Lanús e Defensa y Justicia decidem hoje (23) a Copa Sul-Americana, às 17h (com Conmebol TV), naquela que é a primeira final da competição com dois times do mesmo país. A coluna lista agora seis motivos para acompanhar o confronto 100% argentino em jogo único na província de Córdoba.

HERNÁN CRESPO
O atacante que era comparado a Ronaldo na virada do milênio virou um senhor técnico pelo modesto Defensa y Justicia, da cidade de Florencio Varela, na Grande Buenos Aires. Hoje com 45 anos, Crespo já integra o top 5 dos treinadores em atividade na Argentina (Gallardo, Russo, Rondina e Dabove são os outros quatro).

Hernán começou a temporada 2020 parando o River de Gallardo no Monumental em um empate que encaminhou a reação e o posterior título do Boca no Argentino. Que ninguém duvide: ele já está pronto para treinar times grandes no continente. O Defensa tem estilo semelhante ao do River, com pressão alta e esmero nos passes para sufocar o rival.

PEPE SAND
O atacante do Lanús está com 40 anos encara esta decisão como o ponto final da carreira - e não é para menos. Sand é um exemplo de vigência e profissionalismo nos cuidados com o físico e nos fundamentos refinados. Finaliza por baixo e por cima com a mesma capacidade, e parece ter um GPS da área acoplado no corpo, tamanha sua eficiência no posicionamento. A brincadeira portenha sobre o "homem de 40 anos valer por dois de 20" está mais vigente que nunca no caso de Pepe.

BRAIAN ROMERO
O atacante do Defensa tem 29 anos e é uma das histórias mais sensacionais do futebol mundial. Tinha uma doença nos ossos e mal podia caminhar no começo da carreira. "Nasci de novo", costuma repetir. Hoje, está prestes a ser o artilheiro da Sul-Americana com seus nove gols até aqui. É outro com potencial para alçar voo para times grandes do continente, apesar da idade pouco comum para transferências.

BOCA x RIVER...
Aliado histórico do Boca nos bastidores e na torcida, o Lanús tem um motivo a mais para buscar o título deste sábado: derrubar o Defensa de Hernán Crespo. Artilheiro matador no River campeão da Libertadores de 1996, Hernán é famoso na Argentina por muitas farpas lançadas aos xeneizes, que hoje vão secá-lo por todo o país. A frase mais famosa de Crespo? "A Bombonera fede. E treme porque é mal feita", disparada em 2017 antes de um Argentina x Peru pelas Eliminatórias no bairro de La Boca.

...MARADONA...
Diego segue onipresente no futebol vizinho - e se não foi possível homenageá-lo na decisão da Libertadores, o Lanús quer render seu tributo agora na Sul-Americana. Maradona nasceu na cidade de Lanús e teve uma grande identificação com o clube depois da aposentadoria como jogador profissional. Disputou amistosos para arrecadar fundos e vestiu camisas que hoje são exibidas como troféus de guerra na sede da instituição argentina.

E KEMPES
A decisão será no Estádio Mario Kempes, o antigo Chateau Carreras, de Córdoba, local dos mais emblemáticos da Argentina fora da capital. A final será sem público, mas vale a oportunidade para começar a conhecer uma das províncias mais interessantes do país. A carne de lá é tida por muitos como a melhor de toda a Argentina. Vinhos, doces e mates? Nem precisa falar - só relembrar as serras e os convidativos pampas espalhados pelo território.

ESCALAÇÕES - LANÚS: Lautaro Morales; Braian Aguirre, Guillermo Burdisso, Alexis Pérez e Alexandro Bernabei; José Luis Gómez (Franco Orozco), Facundo Quignon, Tomás Belmonte e Pedro De la Vega; Nicolás Orsini e José Pepe Sand. Técnico: Luis Zubeldía.

DEFENSA Y JUSTICIA: Ezequiel Unsain; Emanuel Brítez, Adonis Frías, Héctor Martínez e Rafael Delgado; Enzo Fernández, Valentín Larralde e Eugenio Isnaldo; Francisco Pizzini, Braian Romero e Walter Bou. Técnico: Hernán Crespo.