Esportes

Sínteses de goleiros modernos, Weverton e Éverson terão papéis decisivos

Classificação e Jogos

O velho clichê dos bons times começarem por bons goleiros vale muito para o confronto entre Palmeiras x Atlético-MG pela semifinal da Copa Libertadores. Na partida de ida, que acontece a partir das 21h30 (horário de Brasília) desta terça-feira (21), no Allianz Parque, Weverton e Everson travam um duelo à parte de alta qualidade na posição. Não à toa, ambos estiveram na última lista do técnico Tite para as Eliminatórias da Copa de 2022.

A vaga, na final, aliás, pode muito bem ser decidida por eles. Não será surpresa se um confronto de camisas tão pesadas terminar numa disputa de pênaltis, fundamento em que ambos são especialistas, no próximo dia 28, no Estádio do Mineirão. Mas não é apenas nisso que eles são bons e nem é esse o único modo de eles decidirem o duelo.

Ótimos em reposição de bola jogando com os pés, a dupla sintetiza o que há de mais importante em um goleiro nos tempos atuais. Sem deixarem de ser excelentes nos fundamentos obrigatórios, são também atores importantes nos momentos ofensivos de seus times, iniciando jogadas e até mesmo criando situações de gol.

Weverton chegou ao Palmeiras tendo de desbancar heróis

Weverton foi anunciado pelo Palmeiras em dezembro de 2017 e, inicialmente, chegava para disputar posição com dois heróis palmeirenses: Fernando Prass e Jailson. Entre os palmeirenses, houve muitos narizes torcidos. Ainda mais pelo fato de o diretor Alexandre Mattos ter decidido pagar pela contratação. O contrato do jogador ia até maio de 2018, mas Mattos pagou R$ 2 milhões para que ele fosse liberado antes.

Inicialmente, o Palmeiras fez um revezamento dos goleiros, no Campeonato Paulista. Mas, aos poucos, Weverton foi se impondo e tornou-se titular incontestável. Medalha de ouro na Olimpíada do Rio, em 2016, ele também tinha sido figura recorrente também nas listas de Tite, ainda jogador do Athletico-PR.

Acabou não indo para a Copa de 2018, preterido por Cássio. Mas já desde 2020 que o goleiro do Palmeiras está sempre nos chamados do treinador. Inicialmente terceiro reserva de Alisson e Ederson, o jogador hoje disputa o lugar em pé de igualdade atualmente.

Em entrevista ao UOL, tendo trabalhado com Dida, Marcelo Grohe e outros, Rogerio Godoy, atual treinador de goleiro do Palmeiras, vê em Weverton o atleta mais impressionante que já treinou. "Ele tem o kit completo", diz ele, se referindo às habilidades defendendo com as mãos e iniciando o jogo com os pés

Trabalhar com Cuca era o destino de Everson

ev - Lucas Figueiredo/CBF - Lucas Figueiredo/CBF
Éverson durante treinamento da seleção brasileira no CT Joaquim Grava
Imagem: Lucas Figueiredo/CBF

Anunciado pelo Atlético em 10 de setembro do ano passado, Everson recusou pedido de Cuca, naquele momento técnico do Santos, para permanecer no time da Vila. Pedido por Jorge Sampaoli no Alvinegro, o arqueiro de 31 anos desembarcou em Belo Horizonte a contra gosto da maioria dos torcedores, já que Rafael era o preferido para ser o titular, ao contrário do que pretendia o comandante argentino.

A facilidade para jogar com os pés foi o grande diferencial para que Everson logo ganhasse posição no Galo. Coincidentemente, o caminho foi aberto após a expulsão de Rafael no confronto contra o Peixe, em 9 de setembro. Victor, o então segundo goleiro, fora acionado e acabou falhando na derrota por 3 a 1.

Recém-chegado, no confronto seguinte, foi para campo na vitória por 2 a 1 sobre o Red Bull Bragantino. De la para cá, ele se tornou o dono absoluto da posição. Apesar de um início complicado, no qual não tinha permissão para falhar, por não ser o "xodó" da torcida, agora ele também caiu nos braços da "Massa Atleticana" e ganhou paz para seguir no posto.

Com 72 partidas realizadas pelo Atlético-MG, Everson sofreu com as falhas e viu até mesmo sua mulher ser alvo da ira dos atleticanos nas redes sociais. Mas foi na Libertadores que ele deu a volta por cima e se tornou herói. Contra Boca e River, ambos da Argentina, o goleiro foi protagonista e ganhou o respeito.

A cereja do bolo foi a inédita convocação para a seleção brasileira. Sem poder contar com Alisson e Ederson, devido a restrição iposta pelos clubes ingleses, Tite acionou o titular do Galo para compor banco em três jogos das Eliminatórias, contra Chile, Argentina e Peru. Durante a estadia, Everson não escondeu a emoção de realizar o maior sonho da carreira.