Esportes

Série B do Brasileirão | Cruzeiro vence o Operário-PR por 2 a 1 e afasta de vez o risco de Série C

Série B do Brasileirão | Cruzeiro vence o Operário-PR por 2 a 1 e afasta de vez o risco de Série C

O Cruzeiro afastou matematicamente a possibilidade de ser rebaixado ao vencer o Operário-PR por 2 a 1, pela 36ª rodada do Campeonato Brasileiro da Série B. O triunfo da Raposa começou a ser construído com um gol de Rafael Sóbis, aos 31 minutos do primeiro tempo. Após Ricardo Bueno empatar depois do intervalo, Pottker colocou novamente o Cruzeiro à frente no placar.

Agora restam mais dois jogos para o término da Série B. Com a vitória, o Cruzeiro agora soma 47 pontos e ocupa a 13ª posição. Já o Operário-PR se complica na briga por uma vaga na próxima edição da Série A e estaciona na nona colocação, com 51 pontos.

O próximo compromisso do Cruzeiro é no domingo (24), novamente no Independência, contra o Náutico. O Fantasma, por sua vez, volta a campo na segunda (25), no estádio Germano Krüger, contra a Chapecoense.

Quem foi bem: Manoel tem exibição impecável e participa de dois gols

Os dois gols do Cruzeiro foram iniciados pelo experiente zagueiro, que apesar do desvio no gol adversário, teve uma exibição praticamente impecável. Pottker e Sóbis também se destacaram.

Quem foi mal: Reniê vacila no primeiro tento do Cruzeiro

O Operário vinha melhor na primeira etapa até as duas falhas do defensor na jogada que resultou na abertura do placar pelo Cruzeiro.

Mesmo pior, Cruzeiro abre o placar em vacilo da defesa do Fantasma

O Cruzeiro apresentava dificuldades na primeira etapa. Mesmo em casa, finalizava muito menos que o rival paranaense até que, aos 31 minutos, recebeu um presente do zagueiro Reniê, que errou ao tentar afastar de cabeça uma bola rebatida por Manoel. Rafael Sóbis aproveitou o vacilo e aplicou um chapéu no goleiro Martín Rodríguez. Para completar, Reniê marcou contra ao tentar desviar a finalização do atacante cruzeirense.

Segundo tempo: o roteiro se inverte, mas time de Felipão se recupera

O Cruzeiro iniciou a segunda etapa com um ímpeto totalmente diferente. Logo na primeira jogada, Pottker quase abriu o placar em sobra de boa jogada articulada por Airton. O time de Felipão manteve um ligeiro controle da posse de bola até o nono minuto da segunda etapa, quando Jean Carlos rolou a bola, de calcanhar, para Ricardo Bueno. O camisa 9 bateu cruzado de fora da área e contou com um desvio do zagueiro Manoel para empatar.

Três minutos depois, Pedro Ken aproveitou bem um cruzamento pela direita e completou para o gol. Entretanto, o árbitro Marcelo Aparecido Ribeiro de Souza viu falta do meio-campista em Filipe Machado e anulou o tento da virada do Operário. Na transmissão da partida pelo canal Premiere, o ex-árbitro Paulo César de Oliveira afirmou que não houve falta no lance.

Os visitantes seguiram ligeiramente melhores na partida, mas o Cruzeiro foi mais eficiente. Aos 30 minutos, Manoel fez um ótimo lançamento e achou Pottker livre pelo lado direito do ataque. O camisa 11 finalizou no canto oposto superior e devolveu a vantagem no placar aos donos da casa.

CRUZEIRO 2x1 OPERÁRIO-PR

Data: 20 de janeiro de 2021, quarta-feira
Horário: 21h30 (de Brasília)
Competição: Campeonato Brasileiro Série B (36ª rodada)
Local: Estádio Independência, em Belo Horizonte (MG)
Árbitro: Marcelo Aparecido Ribeiro de Souza (PB)
Auxiliares: Clovis Amaral da Silva (PE) e Thiago Gomes Magalhães (RJ)
Cartões amarelos: Machado (Cruzeiro); Alex Silva, Jean Carlo, Leandro Vilela, Pedro Ken, Reniê, Ricardo Bueno (Operário-PR)
Cartão vermelho: Diego Cardoso e Jorge Jiménez (Operário-PR)

Gols: Rafael Sóbis, 31 minutos do 1º tempo (1-0); Ricardo Bueno, aos 9 minutos do 2º tempo (1-1); William Pottker, aos 30 minutos do 2º tempo (2-1)

CRUZEIRO: Fábio; Raúl Cáceres, Ramon, Manoel, Matheus Pereira; Adriano, Filipe Machado (Cacá), Giovanni (Jadson); William Pottker, Airton e Rafael Sóbis (Welinton). Técnico: Luiz Felipe Scolari.

OPERÁRIO-PR: Martín Rodríguez; Alex Silva, Reniê, Ricardo Silva, Fabiano (Diego Cardoso); Pedro Ken (Thomaz), Leandro Vilela (Schumacher), Jean Carlo, Marcelo, Rafael Oller (Maranhão); Ricardo Bueno. Técnico: Matheus Costa.