Esportes

Sampaoli x Coudet: Disputa pela liderança coloca amigos frente a frente

Classificação e Jogos

Amigos, mas também rivais. Esta é a relação entre Jorge Sampaoli e Eduardo Coudet. Disputando ponto a ponto e rodada a rodada a liderança do Campeonato Brasileiro, Inter e Atlético-MG são comandados por treinadores que possuem semelhanças na condução de suas equipes, e uma forte ligação fora de campo.

Quando recebeu a primeira sondagem da direção do Internacional, Eduardo Coudet, então técnico do Racing, não respondeu imediatamente. Entre o bate-papo com os dirigentes e o "sim" houve uma ligação ao amigo Sampaoli. Coudet perguntou sobre o mercado brasileiro, sobre os clubes, sobre o que poderia encontrar no país.

Ouviu do técnico do Atlético-MG — que então comandava o Santos — que o Brasileirão era diferente da maioria dos campeonatos, muito disputado, que havia um calendário apertado, clubes muito passionais e jogadores de qualidade. Que seria um bom desafio. E acabou aceito.

"Temos uma relação muito próxima. Acho que não vou conseguir ser muito imparcial, porque é uma pessoa que tenho muito apreço, gosto muito. Ele tem uma trajetória em meu país [Argentina], um técnico vencedor. Eu o contei um pouco como é a história do Brasil para treinar equipes", revelou Sampaoli quando ainda era técnico do alvinegro do litoral paulista.

A relação deles não tinha começado ali. Coudet sempre diz que Sampaoli o ajudou muito no início da carreira como treinador. A relação de troca de ideias sempre acompanhou ambos, também amplificada pelas preferências no campo de jogo. Tanto Coudet quanto Sampaoli montam seus times para atacar, querem sempre investir contra o gol rival e usam a intensidade como lema. Hoje, mesmo que de lados opostos eles seguem se falando no Brasil.

"É um grande amigo, ontem mesmo conversamos. É um grande treinador, um dos melhores, a quem eu sempre desejo o melhor", disse Coudet após a vitória do Inter sobre o Sport, na última quarta-feira (14).

Anos antes, em 2017, Sampaoli promovia um evento para comemorar a classificação da Argentina, que comandava, para Copa do Mundo de 2018, na Rússia. A celebração ocorreu na cidade de Casilda, onde nasceu o treinador. Coudet, então técnico do Racing, ignorou a rotina de competições nacionais e, de carro, viajou aproximadamente 800 quilômetros (ida e volta) desde Buenos Aires para prestigiar o amigo.

Quando questionado se guardava tempo para torcer contra alguém cuja relação é tão próxima, Chacho abriu um sorriso e acabou despistando, mantendo os laços intactos.

"A realidade é que para mim é um grande candidato ao título. Além de ser um grande treinador, tem um time sempre descansado porque disputa só uma competição. E isso é importante na dinâmica dos times. Temos que tratar de nos adaptar a cada jogo e tentar estar melhor. Vamos ser competitivo, jogar da melhor forma, tentar disputar sempre, contra quem quer que seja, não tenho dúvida", acrescentou.

As conversas são frequentes. Coudet e Sampaoli estiveram juntos quando Inter e Atlético-MG se enfrentaram, em Porto Alegre. Não há mais momentos deste tipo em razão da pandemia de novo coronavírus. Caso contrário, certamente repetiriam encontros presenciais além dos telefonemas frequentes.

Após este encontro, aliás, Coudet disse que, por ser um amigo, estar frente a frente com Sampaoli "não foi agradável" no Beira-Rio. O Colorado venceu o jogo por 1 a 0.

A tabela coloca ambos com 31 pontos para o início da 17ª rodada. Sampaoli está na frente com Galo pelo número de vitórias (dez contra nove). Além de ter um jogo disputado a menos que o Colorado de Coudet.