Esportes

Reportagem: Diego Garcia - São Paulo tenta reduzir em R$ 5 milhões divida com superagente

O São Paulo apresentou nesta segunda-feira recurso para tentar reverter a sentença que condenou o clube a pagar R$ 20 milhões ao empresário André Cury. O time tricolor tenta mudar a decisão ou ao menos reduzir em cerca de R$ 5 milhões a dívida, que surgiu por um empréstimo na contratação de Raniel, em 2019.

No recurso, o São Paulo pede que as cláusulas contratuais que preveem juros de mora de 1% ao mês para um período anterior ao termo de pagamento sejam consideradas nulas. O clube entende que o tópico gerou um acréscimo superior a R$ 800 mil na cobrança.

Ainda questionou a correção pelo IGPM sobre o débito e pediu pela substituição pelo IPCA, o que reduziria em mais R$ 4 milhões a cobrança do empresário. Para o São Paulo, o índice monetário estabelecido gera um desequilíbrio contratual inadmissível.

Em sentença publicada no último dia 2 de setembro, o juiz Luiz Gustavo Esteves considerou válido o pedido de Cury, julgando a ação procedente e condenando o São Paulo a pagar cerca de R$ 20 milhões, já corrigidos pelo IGPM e com os juros devidos, em respeito ao contrato.

São Paulo e André Cury assinaram acordo de empréstimo em 1º de julho de 2019. No dia 5 de julho daquele ano o clube paulista anunciou a contratação de Raniel, que é agenciado por Cury, e no dia 8 de julho Cury depositou R$ 13,7 milhões na conta do São Paulo.

O acordo inicial previa que o time do Morumbi pagaria a quantia em 12 parcelas, a partir de janeiro de 2020. No início de 2020, porém, houve um novo acerto entre Cury e São Paulo. Ficou decidido ali que o empresário daria mais um ano de prazo para o clube começar a pagá-lo.

O problema com Raniel não é o único do São Paulo com Cury. O agente também cobra comissões envolvendo negociações de Lucas Pratto e Paulo Henrique Ganso. No total, o time tricolor deve mais de R$ 30 milhões ao empresário.