Esportes

Palmeiras goleia o Bolívar, avança na Libertadores e até Rony desencanta

Classificação e Jogos

O Palmeiras conseguiu hoje a classificação antecipada às oitavas de final na Copa Libertadores e lavou a alma. Com a goleada por 5 a 0 sobre o Bolívar (BOL) no Allianz Parque, o time tirou o atraso depois de atuações em que criou muito pouco recentemente, e até Rony desencantou: foi dele o último gol na vitória, em que Willian, Wesley, Viña e Raphael Veiga também marcaram.

O Verdão chegou aos 13 pontos, segue líder e invicto no Grupo B depois de cinco rodadas - o Bolívar, com quatro, é o terceiro e precisa secar o Guaraní (PAR). O time paraguaio está na segunda posição na chave, com sete, mas pode se garantir nas oitavas amanhã (1), quando visita o Tigre (ARG), lanterna da chave.

A última partida na primeira fase do Palmeiras será no dia 21 de outubro, diante do Tigre, novamente no Allianz. Pelo Brasileirão, o time receberá o Ceará, sábado (3), às 19h.

Rony faz, enfim, o primeiro gol

Contratado no início do ano após se destacar pelo Athletico, Rony conseguiu, enfim, o seu primeiro gol pelo Palmeiras. Novidade na escalação, o atacante tinha 21 partidas pelo clube, sempre marcado pelo nervosismo na hora de definir. Depois de iniciar a jogada do gol que abriu o placar, no começo de partida com Willian, o camisa 11 abriu o sorriso ao completar de cabeça o cruzamento de Wesley e fazer o quinto do Verdão. Até Vanderlei Luxemburgo gargalhou no banco, fazendo sinal de que o atacante "tirou a zica".

O melhor: Wesley não se intimida e também desencanta

Diferentemente dos últimos jogos, Luxemburgo escalou o Palmeiras com dois velocistas - Wesley do lado esquerdo e Rony pela direita. O jogador revelado pelas categorias de base do Verdão mostrou bastante desenvoltura, ainda que tivesse cometido seus erros nas tomadas de decisão no primeiro tempo. Foi ele, porém, quem abriu o caminho para a goleada, com um belo gol logo depois do intervalo. Em boa parte das vezes que jogou em 2020, o garoto correspondeu.

Weverton e Felipe Melo fazem lambança

Weverton e Felipe fizeram uma grande lambança aos 43 minutos do primeiro tempo. Os dois tentaram sair curto no tiro de meta, mas o goleiro deu dois toques na bola, e o árbitro assinalou tiro livre indireto para o Bolívar na linha da pequena área. O goleiro montou uma barreira diferente, atrás dele e em cima da linha de gol. A estratégia deu certo, já que o chute forte de Álvaro Rey foi travado por Raphael Veiga. Este foi o momento de maior risco do Verdão na partida.

Avalanche no segundo tempo

O Palmeiras fez cinco gols pela primeira vez no ano e três deles saíram em cinco minutos: Viña, em chute forte, Raphael Veiga, após cruzamento do lateral uruguaio, e Rony deram ao Verdão seu melhor desempenho ofensivo na temporada. Depois de um primeiro tempo parelho, com 12 finalizações alviverdes e 10 para os bolivianos, o segundo foi de amplo domínio do Palmeiras.

A equipe de Vanderlei Luxemburgo, invicta há 19 partidas (nove vitórias e dez empates), criou três vezes mais chances que o adversário após o intervalo e deixou uma impressão melhor do que os jogos arrastados que vinha fazendo recentemente. Encerrou, também, a sequência de cinco empates seguidos no Allianz Parque.

FICHA TÉCNICA
PALMEIRAS 5 X 0 BOLÍVAR (BOL)

Data: 30 de setembro de 2020, quarta-feira
Horário: 19h15 (de Brasília)
Local: Allianz Parque, em São Paulo (SP)
Árbitro: Leodán González (URU)
Assistentes: Nicolas Taran e Richard Trinidad (ambos do URU)
Cartões amarelos: Gustavo Gómez, Weverton (PAL); Fernández (BOL)
Cartões vermelhos: -

GOLS: Willian, aos quatro minutos do primeiro tempo (1-0); Wesley, aos dois minutos do segundo tempo (2-0); Viña, aos 14 minutos do segundo tempo (3-0); Raphael Veiga, aos 16 minutos do segundo tempo (4-0); Rony, aos 19 minutos do segundo tempo (5-0)

PALMEIRAS: Weverton; Marcos Rocha (Gabriel Menino), Felipe Melo (Luan), Gustavo Gómez (Vitor Hugo) e Viña; Patrick de Paula, Bruno Henrique (Ramires) e Raphael Veiga; Wesley, Rony e Willian. Técnico: Vanderlei Luxemburgo

BOLÍVAR: Rojas; Bejarano (Quinteros), Jusino, Haquín e Fernández; Saavedra, Oviedo (Machado), Anderson Cruz (Cataldi), Rey (Vaca) e Arce; Riquelme. Técnico: Claudio Vivas