Esportes

Opinião: Mauro Cezar: Clubes se unem contra o Flamengo, mas não contra o calendário

Uma reportagem do UOL Esporte revelou que o calendário da CBF para a temporada 2022 terá a manutenção dos campeonatos estaduais com 16 datas, o que é alvo de muitas críticas, ainda mais com o fato de o futebol brasileiro ter ocorrido sem pausas dos campeonatos locais durante as datas Fifa, o que virou tema de reclamação do Flamengo.

No UOL News Esporte, Mauro Cezar Pereira critica a subserviência dos clubes à confederação e critica que os dirigentes se mobilizem para evitar que o Flamengo possa ter público, mas não para lutar contra um calendário que os prejudica em muitos casos.

"Os clubes brasileiros se unem contra o Flamengo porque o Flamengo queria colocar público, mas não se unem contra essa aberração que é o calendário. A gente vê que a subserviência dos clubes em relação à CBF é muito forte e existe até hoje, continua firme até hoje. Rodrigo Mattos sempre frisa acho que eu acho muito importante, a CBF não faz consulta aos clubes, ela apresenta o calendário, ou seja, 'os clubes assinaram', isso é uma balela, os clubes só engolem e não falam nada, aí está o erro na minha opinião, poderiam e deveriam se manifestar", diz Mauro.

"O Flamengo foi ao tribunal do esporte na Suíça protestando contra a não paralisação dos campeonatos em períodos de data Fifa, o que faz com que ele perca jogadores, pode perder vários agora em outubro, em mais um período de data Fifa. Os outros fazem o quê? Nada. Quando um se rebela, tenho várias restrições a diversas atitudes da diretoria do Flamengo, mas toda vez que ela bate de frente com a CBF, eu acho que está certo e outros deveriam fazer o mesmo", completa.

O jornalista afirma que haveria soluções melhores, como espalhar os jogos de estaduais para os períodos de data Fifa, considerando que os principais clubes teriam desfalques nos jogos de menor importância e não da forma como ocorre atualmente.

"Os estaduais com 16 datas são os responsáveis por esta situação, são mais ou menos os 16 jogos que o Brasil faz em período de data Fifa, ou seja, é justamente o período do estadual, se não existisse o estadual, o campeonato poderia parar e estaria tudo bem. Eu já dei sugestões várias vezes, eles não querem seguir nem essa e nenhuma outra, que outras pessoas apresentam, que é fazer o estadual ao longo do ano, nas datas Fifa", diz Mauro.

"Não dá mais para sustentar campeonatos estaduais nesse formato, eu não sou contra eles, sou contra esse formato. Ou faz ele bem curtinho, pré-temporada, ou dilui ao longo do ano em períodos de data Fifa. Nós teríamos agora em outubro jogos de Campeonato Paulista, Carioca, entrando em reta final, estariam em uma reta final. Seria muito mais razoável desta maneira, mas eles insistem em fazer errado e os clubes não falam nada, com exceção de um que tem reclamado", conclui.