Esportes

Montenegro rebate Felipe Neto e indica plano alternativo para S/A no Bota

Carlos Augusto Montenegro, ex-presidente do Botafogo e membro do atual comitê gestor de futebol, no começo da noite de hoje (28), rebateu as declarações do youtuber Felipe Neto sobre o projeto de transformação do departamento de futebol do Alvinegro em S/A.

O dirigente afirmou que o planejamento segue em andamento, mas admitiu que houve uma mudança na direção. Montenegro apontou ainda que a questão da recuperação judicial só será discutida caso nenhum dos planos sejam se concretizar.

Alvinegro declarado, Felipe Neto fez publicações em rede social na noite de ontem (27), após a derrota para o Cuiabá, pelas oitavas de final da Copa do Brasil. Na ocasião, o youtuber se mostrou insatisfeito com a forma que o projeto da S/A foi levado à frente e indicou que o clube "caminha para a falência".

"Não concordo. Acho que é uma declaração irresponsável. Na verdade, o Botafogo está falido, toda a receita está penhorada. Botafogo está falido. Se não fosse a torcida, o comitê, se não fosse a ajuda pessoal de algumas pessoas, o Botafogo já estaria falido oficialmente. O que estamos tentando é tirar o Botafogo da falência. Nenhuma empresa sobrevive com 10 milhões [de reais] de despesa e 800 mil de receita por mês. É como se estivesse bem e estivéssemos levando para a falência. Ele ontem tacou fogo. Tudo bem, é uma opinião dele. Na minha visão, o comitê está tentando ajudar mais o Botafogo que o Felipe Neto. Estou arrasado por ter jogado mal ontem e perdido para o Cuiabá, mas tem de levantar a cabeça", disse

"A única coisa que ele fez de errado foi incendiar um projeto que não tinha nada a ver. Misturou uma derrota honrosa com a S/A. Achei isso covarde. Não achei isso coisa de grande botafoguense. Claro que ele é, mas achei covarde. Não precisava fazer isso. Tem meu telefone. Colocou uma informação falsa como se o comitê tivesse pedido para mudar algum número. Pelo contrário, o comitê só diminuiu despesa. Fez uma folha, que acho ridícula, para ajudar projeto. Diminuímos custeio para ajudar o projeto. O projeto não acabou", completou.

Montenegro explicou que a cúpula, recentemente, mudou o rumo por conta de algumas questões envolvendo os valores arrecadados até então. O dirigente explicou que, inicialmente, o projeto tinha conseguido um aporte de R$ 180 milhões e teria apenas investimento nacional, de alvinegros. Porém, com obstáculos para atingir os R$ 250 milhões pensados inicialmente, iniciou-se um outro planejamento, do zero, mas com a possibilidade de investimento internacional.

"Eram R$ 250 milhões, com R$ 100 milhões para acordo com credores e R$ 150 milhões para investimentos. Tínhamos R$ 180 milhões, mas empacou. O grupo que era majoritário não queria que tivesse investimento estrangeiro. Agora, o projeto 2 começa do zero, sob comando do Gustavo Magalhães. Ele já está tocando o projeto 2 há dois meses. Os 126 milhões (fundo principal) não ficam, só ficam no modelo deles. Os 54 milhões [restante do projeto 1] podem estar ou não", apontou.

O ex-presidente ressaltou que a recuperação judicial só entrará em pauta caso nenhuma das propostas dê certo.

"O clube não pode pedir recuperação judicial, mas a empresa "x" pode pedir. A questão do clube pedir é dúbia, a Justiça pode dar ou pode não dar. Ninguém está pensando em recuperação judicial. É a última etapa, se tudo falhar. Ideia é conseguir dinheiro novo. Se nada acontecer, a gente vai ter de pensar em recuperação judicial", salientou.