Esportes

Mauro Cezar Pereira - Manipulação de resultado no futebol de SP: polícia começa a ouvir jogadores

Na próxima semana, a Drade (Delegacia de Repressão aos Delitos de Intolerância Esportiva) começará a ouvir jogadores, dirigentes e comissões técnicas de Barretos e Linense, times que se enfrentaram há uma semana, pelo Campeonato Paulista da Série A-3 (terceira divisão profissional do Estado de São Paulo). Há suspeita de manipulação de resultado.

O primeiro dos dois pênaltis cometidos pelo Barretos no jogo contra o Linense: sob investigação - Reprodução TV - Reprodução TV
O primeiro dos dois pênaltis cometidos pelo Barretos no jogo contra o Linense: sob investigação
Imagem: Reprodução TV

O time de Lins, atuando fora de casa, goleou por 4 a 0. O jogo teve dois pênaltis e um gol contra nos acréscimos vistos como indícios de que havia interesse de apostadores em determinadas situações durante a partida. "Há lances que levam a crer, mas somente por eles não podemos afirmar, precisamos de mais elementos, e o trabalho da polícia civil é apurar", diz César Saad, delegado titular da Drade.

Os lances do jogo podem ser vistos neste link. Os dois pênaltis cometidos pelos atletas do Barretos e o gol contra, com o jogador cabeceando, livre, em direção à própria meta, chamaram a atenção. Foi instaurado inquérito policial e solicitada a súmula da partida com os nomes dos jogadores e comissões técnicas para que sejam chamados à delegacia. "Agora vamos começar a ouvir as pessoas", acrescenta o policial.

A suspeita envolve bolsas de apostas que se utilizam de sites e aplicativos. Não seria uma simples "fezinha" apenas no resultado, mas em número de escanteios, de pênaltis, nos minutos nos quais seriam assinalados, etc. Tais lances seriam gerados a partir desses palpites. "A Federação Paulista de Futebol tem uma comissão de integridade que analisa as partidas, e empresa Sportsradar, parceira da entidade, faz relatórios de cada jogo", explica.

O delegado César Saad, da DRADE (Delegacia de Polícia de Repressão aos Delitos de Intolerância Esportiva) - Reprodução TV - Reprodução TV
O delegado César Saad, da DRADE
Imagem: Reprodução TV

A polícia recebeu o documento referente a esse cotejo e concluiu que, nitidamente, há situações, jogadas que despertam suspeitas. A desconfiança aumentou quando constatado que o índice de apostas subiu muito nos momentos próximos dos lances observados, os pênaltis, os escanteios e o que gerou o gol contra. "São indicativos de fraude, dessa forma está sendo feita a investigação", acrescenta Saad.

Além de jogadores, treinadores e auxiliares, os presidentes dos clubes serão ouvidos na delegacia especializada. "O Barretos já teve casos antes, em 2018 e 2019, também envolvendo apostas", lembra o delegado. Tais partidas são alvo desse tipo de crime por terem pouca visibilidade, normalmente sem muito público, mesmo fora da pandemia; com pequena presença da imprensa, e sem cobertura das TVs. "E, o mais importante, os baixos salários dos jogadores. Alguns nem recebem em dia, sendo mais vulneráveis a uma proposta desse tipo", explica o titular da Drade.

Assim, tais times e seus atletas são considerados alvos em potencial de aliciadores. Os treinadores serão ouvidos, já que, diante de uma atuação suspeita de alguns jogadores, o que explica a permanência em campo? "É o caminho da investigação. E apesar de o Estatuto do Torcedor prever pena alta para quem manipula resultado, para o profissional a mais pesada é o banimento do esporte pela Fifa", destaca.

O delegado revela que há casos nos quais a polícia consegue a confissão do atleta, inclusive informando de quem recebeu dinheiro e com qual missão, qual o objetivo. Dessa maneira é possível chegar aos corruptores. "O Linense não está sob suspeita, mas temos que ouvir os dois times, pela transparência da investigação", explica Saad. Além do Barretos, há suspeita de manipulação em partida do Olímpia, também pela Série A3 2020.

Siga Mauro Cezar no Twitter

Siga Mauro Cezar no Instagram

Siga Mauro Cezar no Facebook

Inscreva-se no Canal Mauro Cezar no YouTube