Esportes

Mauro Cezar Pereira - Com defesa de garotos, Fla espreme Del Valle e sai fortalecido da Covid

Hugo Neneca Souza, Matheuzinho, Gabriel Noga, Natan e Ramon. Com esses garotos, que jamais seriam escalados em jogo de Libertadores, não fosse o novo coronavírus, o Flamengo goleou o Independiente Del Valle por 4 a 0 no Maracanã. O time equatoriano veio ao Rio de Janeiro praticamente completo, seus desfalques provocados pela Covid-19 eram, basicamente, reservas, tanto que apenas dois titulares dos 5 a 0 em Quito não começaram desta vez.

Os rubro-negros tiveram cuidados semelhantes aos tomados domingo, contra o Palmeiras, no 1 a 1 em São Paulo, três dias antes. Ao contrário do time que atua com a linha defensiva lá no meio do campo, uma equipe que marca mais em sua metade do gramado, protege os zagueiros, cede a bola ao adversário, e usa a velocidade. Foi assim, em jogadas de rápida transição da defesa ao ataque, que o campeão brasileiro e sul-americano abriu 2 a 0 antes do intervalo, com tentos assinalados por Lincoln e Pedro.

Gabigol, que deu passe para o segundo gol, saiu lesionado ainda na primeira etapa. Bruno Henrique, que o substitui, voltou a marcar (duas vezes) após longo afastamento por contusão e dobrou o placar. O Independiente Del Valle, mesmo perdendo de muito, continuava criando. Durante todo o jogo o conjunto de Miguel Ángel Ramirez teve mais posse de bola e finalizações. Hugo, que depois da grande exibição diante dos palmeirenses virou reserva imediato de Diego Alves, ainda machucado, respondeu com segurança e boas defesas.

O Flamengo venceu e se classificou antecipadamente com a combinação entre sua vitória e a surpreendente derrota do Junior, em Barranquilla, para o Barcelona de Guaiaquil (2 a 0) Além de reencontrar a paz, devolver uma derrota por goleada ao seu algoz de duas semanas atrás e assegurar presença no mata-mata da Libertadores, os time rubro-negro descobriu que pode contar com esses garotos citados no começo do texto. E outros, que jogaram domingo, como Guilherme Bala, que jogou parte do segundo tempo.

Sim, o campeão da América parece sair mais forte de seu duelo com a Covid.

Siga Mauro Cezar no Twitter

Siga Mauro Cezar no Instagram

Siga Mauro Cezar no Facebook

Inscreva-se no Canal Mauro Cezar no YouTube