Esportes

Marquinhos minimiza status de favorito do PSG: 'Não se ganha com o nome'

O zagueiro brasileiro Marquinhos, capitão do Paris Saint-Germain, minimizou nesta terça-feira a badalação ao redor da equipe francesa, que estreará amanhã na Liga dos Campeões, em duelo com o Club Brugge, provavelmente, com Neymar, Lionel Messi e Kylian Mbappé atuando juntos.

"Vamos para o campo empolgados, como se esse jogo fosse o último. Uma vez que a partida começa, não existem mais estrelas, você precisa se sacrificar. Não se ganha jogo com o nome", garantiu o ex-Corinthians, em entrevista coletiva.

Marquinhos, no entanto, admitiu que o PSG tem "um dos melhores times" da competição, no entanto, insistiu em não assumir a condição de favorito ao título do torneio continental.

"Deixo que as pessoas falem. Não vou dizer que o PSG seja a melhor equipe do mundo ou a equipe a ser batida. Deixo que os jornalistas e a torcida digam isso", afirmou o zagueiro brasileiro.

O defensor, além disso, garantiu que o Paris Saint-Germain sempre entra em campo com a "pressão" de vencer, especialmente, pelas expectativas criadas pelo ataque formado por Neymar, Messi e Mbappé, que o técnico argentino Mauricio Pochettino afirmou serem prováveis titulares na partida de amanhã, na Bélgica.

"É certo que, com o grupo que temos, as pessoas vão falar ainda mais e vão ter vontade de assistir nossas partidas, mas é bom ter jogadores assim, é muito melhor para nós", avaliou.

Sobre o astro argentino, que atuará pela primeira vez na Champions com a camisa do PSG, Marquinhos afirmou não ter tido conversa sobre a braçadeira de capitão, mas que uma possível disputa não o preocupa.

"Um capitão também deve parecer no campo, não só com a palavra. Assim, eu gosto de mostrar minha liderança. Depois, se for necessário falar um dia sobre isso, eu o faria, mas não é o momento", concluiu o brasileiro.