Esportes

Marchador brasileiro disputa Olimpíada com prótese ocular verde e amarela

Lucas Mazzo inovou. Um dos três representantes do Brasil na Marcha Atlética, ele utilizará uma prótese ocular com as cores verde e amarela. A ideia surgiu assim que se classificou para disputar a Olimpíada de Tóquio.

O atleta tem visão monocular desde que sofreu um acidente em 2009. Com apenas 15 anos ele brincava de paintball - jogo em que pessoas atiram bolinhas com arma de pressão nos adversários - e levou um tiro no olho direito.

Ele passou por três cirurgias para tentar reverter a situação, mas não teve jeito. O arco zigomático quebrou e a retina rasgou fazendo com que perdesse completamente a visão de um dos olhos.

Após alguns anos ele conheceu o médico Fábio Padula, dono de um laboratório especializado na fabricação e adaptação de próteses oculares. Ele usa normalmente no dia a dia e encomendou uma com as cores do Brasil para levar para Tóquio.

A prova dos 20km da marcha atlética masculina, na qual Mazzo participará, é em 5 de agosto, às 4h30. Além dele, os brasileiros Caio Bonfim e Matheus Corrêa também competirão na mesma categoria.