Esportes

Marcão vê Flu equilibrado em empate, e critica árbitro por gol anulado: 'Já fez isso'

Classificação e Jogos

O Fluminense desperdiçou uma vantagem de 2 a 0 e empatou com o Cuiabá, nesta segunda-feira, por 2 a 2, na Arena Pantanal. Após a partida, o técnico Marcão lamentou o resultado pela 21ª rodada do Campeonato Brasileiro, e avaliou como um confronto equilibrado. No entanto, ele reclamou do gol anulado do volante Nonato.

No lance, o árbitro Ramon Abatti Abel foi chamado ao VAR para analisar a participação de Caio Paulista, que estava caído na área em posição de impedimento.

- Sabíamos que jogar aqui contra o Cuiabá seria difícil, que iam nos agredir. No momento que vimos que a equipe sentiu fisicamente e por conta do calor tentamos oxigenar. Foi um jogo igual, apesar do gol que eles fizeram, concluíram pouco no gol, conseguiram fazer isso de uma média/longa distância. Colocamos o Marlon quando o Danilo baixou. Foi equilibrado, as duas equipes buscando o gol. Pelo que construímos no primeiro tempo lamentamos o final. Levamos um ponto importante para casa, mas temos que buscar a regularidade - avaliou o treinador.

- Temos que falar do lance interpretativo do Ramon (árbitro). Ele já fez isso contra a nossa equipe no Rio, contra o Ceará, interpretativo também. Hoje de novo. O jogador estava deitado. Temos uma foto importante que o Walter falou que não tinha visto o lance, dá para ver que ele estava vendo a bola. O Nonato foi bem, surpreendeu e colocou a bola rápido, praticamente definia o jogo. Lamentamos por isso, vamos continuar trabalhando para minimizar os erros - completou.

Um dos momentos que ajudou a definir a partida foi o pênalti cometido por Samuel Xavier logo depois que o Flu marcou o segundo gol. Este foi o 16º contra o Tricolor na temporada, um número alarmante, especialmente se comparado com os seis de 2020, os 11 de 2019, 10 de 2018 e três de 2017. O Fluminense é o time da Série A com mais penalidades cometidas na temporada, à frente do Athletico-PR, com 12.

- Empatamos esse jogo no detalhe. Sabíamos que eles jogam muitas bolas dentro da área e precisávamos fechar o funil. Os detalhes jogaram contra. É continuar trabalhando de forma prudente. Estávamos com o jogo controlado, é conversar, trabalhar e corrigir durante a semana para que não aconteça. No momento que fizermos o gol, que é tão difícil, que a gente consiga controlar, jogar no campo do adversário - disse.

As primeiras mudanças de Marcão foram Cazares e Lucca nas vagas de Nonato e Luiz Henrique, aos 22 do segundo tempo. O jogo melhorou para o Flu com a entrada de Jhon Arias e John Kennedy, dez minutos depois. Questionado sobre as escolhas, o treinador analisou as substituições, que terminaram com Marlon na vaga de Danilo Barcelos.

- Precisávamos oxigenar a saída de bola e optamos por dois homens por dentro para tirar o Uillian Correia do jogo. Conhecemos o adversário e eles começaram a controlar a partida. Por isso optamos por colocar um 10 para empurrar ele para o campo defensivo. O Lucca foi porque entrou o lateral-direito, João Lucas, fazendo pressão pelo lado e ele faz bem o corredor. Tentamos bloquear essa subida. Depois colocamos o Jhon Arias para também dar mais a posse, jogar no campo do adversário, e o John Kennedy para fazer os movimentos que ele gosta de profundidade e jogar no campo do adversário.

- O critério que já tínhamos feito nos jogos passados. Precisávamos de um meia para anular o jogador que entrou do Cuiabá e ele fez o que pedimos. Está treinando bem, procurando espaço, quando ele entrou nós adiantamos mais a equipe e controlamos o jogo. O Arias e o Kennedy entraram e conseguimos pressionar, por pouco não fizemos o gol - completou.

O resultado é ruim para ambos. O Flu perde a chance de entrar no G6 e cai para a oitava posição, com 29 pontos. No próximo domingo, às 16h, o time de Marcão recebe o Red Bull Bragantino no Maracanã.