Esportes

Jogadores do Cruzeiro ameaçam greve por atraso no pagamento de salários

Classificação e Jogos

Os jogadores do Cruzeiro podem entrar em greve a partir de amanhã (14) e paralisarem os treinos na Toca II. A possibilidade de protesto é motivada pelos constantes atrasos salariais e falta de pagamento de outras garantias trabalhistas para todos os funcionários do clube. Esse é um problema que assombra a Raposa desde 2019, quando eclodiram denúncias de corrupção envolvendo dirigentes e o dinheiro minguou nos cofres celestes.

A informação sobre o "motim" dos atletas foi antecipada pela Rádio Itatiaia e confirmada pelo UOL Esporte. Os atletas, apoiados pelo técnico Vanderlei Luxemburgo, pensam em não cumprir a agenda de reapresentação, marcada para esta quinta-feira.

Após o empate com o Botafogo, ontem (12), o goleiro Fábio, uma das lideranças do elenco, voltou a falar das dificuldades de funcionários que não recebem de forma devida os pagamentos mensais.

"Tudo tem o tempo certo, vamos continuar trabalhando focado, respeitando a história do Cruzeiro, cientes das dificuldades que todos estão passando, atletas, funcionários, todos que colaboram para o bem do Cruzeiro, independentemente das circunstâncias, por amar esse clube. Todos estão de parabéns neste momento difícil, funcionários da Toca I, Toca II, jogadores da base todo mundo se dedicando mesmo dentro dessa grande dificuldade, nunca deixando de honrar a camisa do Cruzeiro", disse o camisa 1 estrelado.

Enquanto os atletas ameaçam paralisar suas atividades no centro de treinamento, o presidente Sérgio Santos Rodrigues cumpre agenda no exterior, mais precisamente em Portugal, onde participa de um congresso de gestão moderna no futebol. O cartola cruzeirense, inclusive, é um do palestrantes no evento "Global Football Management", organizado em Lisboa, e com a presença do treinador português Jorge Jesus, multicampeão pelo Flamengo em 2020, e hoje no Benfica.

É a segunda vez em menos de um mês que o dirigente viaja para fora do Brasil enquanto o clube que ele comanda passa por dificuldades. No mês passado, Rodrigues esteve na Espanha, onde visitou o Real Madrid e participou de um curso chancelado pela Fifa. Nas duas oportunidades o presidente foi questionado por torcedores nas redes sociais.

A reportagem procurou a assessoria de imprensa do Cruzeiro para tratar do assunto envolvendo a possível paralisação dos atletas. Até a publicação da matéria o clube não enviou o posicionamento oficial. O texto será atualizado assim que a resposta da diretoria cruzeirense chegar.