Esportes

Hofman cobre Copa América para ESPN argentina e vê futuro no exterior

A cobertura da Copa América chegou de repente para Gustavo Hofman. Preparado para noticiar à distância o que aconteceria na Argentina e Colômbia, sedes iniciais do torneio, ele se viu diante de um trabalho internacional quando o Brasil se tornou a casa da competição. Designado para acompanhar o dia a dia da seleção argentina, o repórter e comentarista dos canais Disney passou a trabalhar diretamente para a ESPN da Argentina.

Fluente em espanhol, ele é o responsável pelas entradas ao vivo durante a programação da emissora argentina. A medida acontece, em parte, por causa da pandemia. Por segurança sanitária, a Disney preferiu usar os profissionais brasileiros em vez de trazer para o Brasil repórteres e comentaristas de outros países.

"O torneio tem sido diferente de qualquer outro que eu já cobri: por conta da pandemia, pela ausência de público, os protocolos rígidos. É uma cobertura diferente de qualquer outra por conta da pandemia de coronavírus. Mas em relação ao trabalho jornalístico, nada muda por causa da língua", explica Hofman.

A admiração pelo futebol internacional ajudou Hofman na mudança repentina. Não houve muito tempo para se preparar, mas como quase toda a seleção argentina já é conhecida, o trabalho ficou facilitado.

Ele evita falar sobre Copa do Mundo. Apesar do desejo de estar no Qatar, prefere deixar nas mãos do grupo Disney a decisão de escalá-lo para a competição. Enquanto isso, faz planos de expandir seu trabalho para fora do país. A cobertura internacional da seleção argentina ajuda.

"A minha paixão é essa, conhecer novas culturas, viver o mundo. Tenho certeza de que nos próximos meses teremos boas novidades. Essa cobertura pode ajudar, porque você mostra sua versatilidade, sua capacidade de trabalhar para vários mercados", completou.