Esportes

Egídio volta a falhar, e derrota com desfalques expõe fraqueza de elenco

Classificação e Jogos

Parecia filme repetido. O Fluminense entrou em campo na Ilha do Retiro com nove desfalques e um formato diferente do usual. Mais conservador que de costume na escalação, o Tricolor sofreu um gol cedo, após pênalti infantil de Egídio, e precisou correr atrás do placar.

Mais uma vez, o Flu não conseguiu nem um empate fora de casa. O Sport saiu na frente e, com postura reativa, abdicou da bola para se defender. Com a falta de qualidade mais do que evidente de seu adversário, o objetivo do time de Jair Ventura foi conquistado, e o Leão venceu por 1 a 0, com gol de Hernane Brocador.

Erros não só na postura inicial mas também nas substituições, com Felippe Cardoso, antes fora dos planos de Odair Hellmann, sendo a primeira opção para sair do banco de reservas quando a equipe precisava mudar o jogo.

Ganso teve boa atuação em derrota do Fluminense para o Sport - Mailson Santana/Fluminense FC - Mailson Santana/Fluminense FC
Ganso teve boa atuação em derrota do Fluminense para o Sport
Imagem: Mailson Santana/Fluminense FC

Depois de ser mais ousado nas mexidas, o técnico viu a equipe enfim traduzir a posse de 74% em finalizações (foram 17 no segundo tempo), mas o time não balançou a rede. Sem muitos titulares, a equipe teve em Ganso, controlando o meio, a única boa notícia.

O camisa 10, de novo, teve boa atuação, que já deveria ser suficiente para lhe render mais minutos em jogos que Nenê, preferido de Odair, não rende. Com opções de velocidade ao seu entorno e um centroavante à frente, ainda que fossem peças do time reserva, o meia fez o time jogar e mostrou que precisa ser mais do que o 19º do elenco em minutos.

Egídio falhou em seis das oito últimas derrotas do Flu

Desde o retorno após a paralisação por conta da pandemia de coronavírus, Egídio acumula erros capitais. Logo no primeiro jogo, contra o Volta Redonda, foi expulso aos 16 minutos de jogo. Depois, falhou nos dois jogos da final do Campeonato Carioca contra o rival Flamengo, o que voltaria a acontecer também nas derrotas contra Grêmio, Red Bull Bragantino e agora Sport.

São 17 jogos oficiais desde o retorno do futebol e, das oito derrotas desde então, seis tiveram participação direta do jogador, que também errou nos gols sofridos na vitória sobre o Vasco e no empate com o Atlético-GO, pelo Brasileirão. Má fase que fez Odair pedir a contratação de Danilo Barcelos. Apesar de começar bem na estreia, com vitória sobre o Corinthians, o lateral acabou expulso e suspenso para o jogo de ontem (20).

O treinador ainda não teve Danilo Barcelos e Egídio à disposição, juntos, na mesma partida. E nem terá na quinta-feira, quando o Tricolor enfrenta o Atlético-GO pelo jogo de volta da quarta fase da Copa do Brasil, já que o reforço contratado já atuou na competição pelo Botafogo e, por força de regulamento, não pode entrar em campo pelo novo clube. Assim, o atual titular seguirá no time, ainda que viva péssima fase.