Esportes

Disney responde ao Cade após denúncias sobre fusão Fox-ESPN; veja detalhes

A Disney enviou, na noite de ontem (21), um ofício ao Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) respondendo sobre a situação atual da fusão entre ESPN e Fox Sports no Brasil. O órgão recebeu denúncias de irregularidades no processo. A empresa americana disse que obedece ao que foi acordado em maio de 2020, quando a operação foi aprovada.

No documento enviado ao órgão federal que garante a livre concorrência no Brasil, a Disney afirma que tem mantido o Fox Sports com condições de ser competitivo na audiência ao compartilhar eventos com direitos de transmissão, como o Campeonato Português e o Campeonato Espanhol. "Conforme permitido pelo ACC [Acordo em Controle de Concentração], a TWDC Brasil [The Walt Disney Company] tem aumentado a base de assinantes que têm acesso ao conteúdo da ESPN e da Fox Sports, elevando o bem-estar do consumidor", afirma o texto obtido pelo UOL Esporte.

"A TWDC Brasil manteve a Fox Sports como um canal separado dos licenciados pela TWDC, ainda preservando os canais Fox Sports 1 e Fox Sports 2 — embora, segundo o ACC, seja obrigada a manter apenas um dos canais — mostrando o compromisso da TWDC Brasil em fazer o processo de integração da forma mais gradual possível sob a perspectiva do consumidor."

Outro ponto da defesa da empresa é a Libertadores. A Disney alega que vai transmitir a competição continental apenas na Fox, como o próprio Cade determinou, até 2022, quando a marca deverá ser devolvida aos donos. "A TWDC Brasil informa que, nos termos da obrigação prevista na Cláusula 3.3. do ACC, os eventos da Copa Libertadores da América estão sendo distribuídos pelo canal Fox Sports. O campeonato foi suspenso após sua segunda rodada em março de 2020 e retomado em setembro de 2020, o que afetou a comparação com os dados de 2019", diz a empresa.

Disney não comenta fim de programas na Fox

No ofício, os americanos não citaram o fim da programação jornalística do canal, que encerrou todos os seus programas — o mais sentido foi o "Fox Sports Rádio", líder de audiência na TV esportiva desde 2014. Neste quesito, a Disney comenta que integrou todos os trabalhos de ESPN e Fox, principalmente na parte administrativa e comercial. Ao todo, cerca de 200 profissionais foram dispensados.

"A ESPN está usando suas próprias plataformas, incluindo plataformas digitais, para promover o conteúdo da FOX Sports. A TWDC Brasil entende que cumpriu integralmente com as obrigações do ACC permanece à disposição do Cade caso qualquer informação adicional seja necessária", conclui o ofício.

O órgão ainda não se pronunciou. Pelo protocolo, o Cade tem até dez dias para responder se as informações passadas pela Disney são suficientes ou se pede mais esclarecimentos sobre a situação.